Bolsonaro cai nas graças do brasileiro e tem altos índices de aprovação desde maio

Pesquisa realizada na segunda semana de setembro pelo XP/Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) apontou para um aumento na aprovação do governo Jair Bolsonaro desde maio de 2019. O índice superou o número de reprovação dos últimos meses.

Bolsonaro cai nas graças do brasileiro e tem altos índices de aprovação desde maio (Foto: Sérgio Lima/Poder 360)
Bolsonaro cai nas graças do brasileiro e tem altos índices de aprovação desde maio (Foto: Sérgio Lima/Poder 360)

Nesse quinto levantamento, no qual a aprovação do governo presidencial aparece em alta, a avaliação ótima ou boa do governo oscilou de 37% para 39% entre agosto e setembro, ruim ou péssima, de 37% para 36%, e a regular de 23% para 24%.

A pesquisa também mostra que há uma melhora na expectativa dos brasileiros para o restante do mandato. 40% esperam que o restante do governo seja bom ou ótimo, ante 37% em agosto. Para 35%, será ruim ou péssimo, ante 36% no mês anterior. A expectativa regular cedeu de 22% para 20%

Leia mais: 5G: Bolsonaro entra em conflito com Anatel e dispara que não quer ninguém ‘dando palpite’

De acordo com o portal O Dia, as variações da pesquisa estão dentro da margem de erro, de 3,2 pontos porcentuais, para cima ou para baixo.  Foram 1.000 entrevistas de abrangência nacional entre 8 e 11 de setembro.

Combate do Bolsonaro ao coronavírus

Dos brasileiros que responderam à pesquisa do Ipespe, 49% consideram as as ações do governo Bolsonaro durante a pandemia como ruim ou péssimo, em agosto era de 50%.  Já o percentual de pessoas que veem um desempenho ótimo ou bom, subiu de 24% em agosto para para 28%.

Aprovação na economia não acompanha a do governo

Mesmo com a oscilação da avaliação positiva do governo Bolsonaro, o índice de avaliação de que a economia não vai bem no país também cresceu. A proporção de pessoas que consideram que a economia está no caminho errado passou de 46% em agosto para 48% em setembro.

Segundo o portal O Dia, é a primeira vez desde maio em que essa percepção aumentou.  Já a razão de pessoas que consideram que a economia está no caminho certo ficou em 38%, permanecendo estável.

Percepção da população e pandemia

De acordo com a pesquisa, 29% da população diz não estar com medo do coronavírus, houve um aumento frente os 28% de agosto e 24% em julho. Já os que estão com um pouco de medo são 40% disseram, de 38% em agosto. 30% disseram estar com muito medo.

Aquele que acreditam que o pior da crise do coronavírus já passou subiu 52%, em agosto, para 60% neste mês.
Das pessoas que acreditam que o pior ainda está por vir, o índice caiu para 32%, ante 41% em agosto.

Facebook Comments

Jornalista graduada pela FAPCOM (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação). Foi repórter do site MigraMundo e Startupi, atuou na comunicação de ONG e em assessoria de imprensa. Atualmente trabalha como jornalista freelancer e redatora do Jornal O Norte.