Auxílio emergencial é insuficiente, diz pesquisa

Uma pesquisa recente sobre o auxílio emergencial, feita pelo telefone entre os dias 6 e 27 de maio, quando a maior parte dos estados do Brasil ainda aplicava medidas, como distanciamento social para conter a transmissão do coronavirus, mostrou resultados alarmantes em todo o País.

Auxílio emergencial é insuficiente, diz pesquisa
Auxílio emergencial é insuficiente, diz pesquisa (Imagem: Economia Uol)


De acordo com o levantamento, o auxílio emergencial pago pelo Governo durante a pandemia do Covid-19 não foi suficiente para proteger seus beneficiários do risco de contaminação.

A avaliação é de um grupo de pesquisadores acadêmicos brasileiros e estrangeiros. A pesquisa entrevistou moradores de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Manaus, Recife, Goiânia e Porto Alegre.

Ao todo foram ouvidos 1.654 moradores de oito capitais brasileiras. O levantamento apontou ainda que os beneficiários do programa saíram de casa com a mesma frequência que pessoas que não receberam o auxílio, expondo-se ao risco de infecção pelo novo coronavírus, às vezes sem necessidade.

A pesquisa comparou beneficiários do auxílio emergencial com aquelas pessoas que não se cadastraram no programa, embora se encaixassem no perfil. Os primeiros afirmaram ter saído de casa 3,51 vezes nos 14 dias antes da pesquisa. Já aqueles que receberam o auxílio emergencial saíram de casa 3,43 vezes, em média.

Leia mais: Auxílio Emergencial: Confira o calendário de saques da 3ª parcela

Segundo a pesquisa esse grupo saiu de casa para ir ao banco e fazer compras, mas também para exercer atividades não essenciais, como visitar parentes e amigos. Enquanto isso, o outro grupo, daqueles que não receberam saíram para praticar esportes e ir ao trabalho.

A cientista política Lorena Barberia, que atuou na pesquisa afirma que o auxílio emergencial teria ajudado a proteger as pessoas, caso elas tivessem o apoio com outras medidas, que não a fizessem sair de casa e se expor ao vírus.

Os acadêmicos apontaram também erros na distribuição de cestas básicas e aglomerações nas portas das agências da Caixa Econômica Federal para o recebimento do auxílio emergencial.

Apuração

Os pesquisadores que atuaram no levantamento são ligados a Rede de Pesquisa Solidária, em que participam instituições acadêmicas pública e privada.

A pesquisa envolveu acadêmicos da Fundação Getúlio Vargas, do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina e da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

 

Mara Rodrigues é formada em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá com mais de 13 anos de experiência. Já atuou como repórter de economia e polícia do jornal O Estado, repórter de cotidiano da TV Diário e assessora de comunicação. Atualmente trabalha como repórter de cotidiano da TV Cidade, filiada da Record TV no Ceará e dedica-se a redação do jornal O Norte.