Auxílio emergencial: Governo cobra devolução do benefício para ESTE grupo até hoje (22)

Até esta terça-feira (22), o Governo Federal enviará mensagens para os celulares de 1,2 milhão de pessoas para que o valor do auxílio emergencial seja devolvido aos cofres públicos. A cobrança é feita aos cidadãos que receberam o benefício de forma indevida e precisam fazer a devolução do benefício. Há a possibilidade de realizar a contestação em caso de cancelamento do pagamento.

Auxílio emergencial: Governo cobra devolução do benefício para ESTE grupo até HOJE (22) (Imagem: Brenda Rocha/Shutterstock)
Auxílio emergencial: Governo cobra devolução do benefício para ESTE grupo até HOJE (22) (Imagem: Brenda Rocha/Shutterstock)

Foi previsto pelo Ministério da Economia o envio de 4,8 milhões de mensagens entre a cobrança inicial e os lembretes de débito, sendo quase o dobro de SMS para relembrar os 2,6 milhões de brasileiros sobre o ressarcimento do benefício; em uma ação que dará R$ 162 mil de gastos à União.

Aqueles que forem contatados pelo Governo por SMS terão o benefício cancelado. Mas, a orientação em mensagem enviada é de que o cidadão poderá contestar a suposta irregularidade e a consequente interrupção dos pagamentos.

Leia mais: Renda Cidadã, Bolsa Família e auxílio emergencial: Bolsonaro assume expectativas para 2021

A pasta informou que cerca de 197 mil pessoas já devolveram valores recebidos indevidamente, totalizando cerca de R$ 230 milhões. O número representa as devoluções feitas pelo site e aplicativo do Auxílio Emergencial.

Contestação

Os casos de cobrança do governo foram considerados indevidos por, durante o pagamento do auxílio, ter sido constatado pelos órgãos fiscalizadores o recebimento de um segundo benefício do governo, como aposentadoria, seguro-desemprego, ou, entraram no Programa emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

Também havia a possibilidade do beneficiário ter conseguido um emprego ou que possuíam renda, valores ou bens incompatíveis com o recebimento do auxílio.

O período para contestação termina no próximo dia 31 de dezembro. Após este prazo, não será possível contestar, apenas proceder com a devolução do recurso recebido.

Mensagem do governo 

A mensagem que o governo envia para cobrar a devolução do auxílio deve conter o CPF do beneficiário e o link do site do Ministério da Cidadania, com texto enviado pelo número 28041. Qualquer mensagem enviada de outro número para cobrar a devolução do auxílio deve ser ignorada.

Leia mais: Bolsa Família: Maia e Guedes DESMENTEM Bolsonaro sobre veto do 13º salário

Como fazer a devolução do auxílio emergencial?

Aqueles que receberem o SMS de cobrança devem acessar o site do Ministério da Cidadania para receber as instruções e realizar a devolução.

O usuário pode acessar o sistema utilizando o CPF para gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) de forma que o dinheiro recebido indevidamente seja devolvido. O pagamento pode ser realizado em qualquer banco.

Jornalista graduada pela FAPCOM (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação). Foi repórter do site MigraMundo e Startupi, atuou na comunicação de ONG e em assessoria de imprensa. Atualmente trabalha como jornalista freelancer e redatora do Jornal O Norte.