Conta de luz aumenta NESSES estados a partir de hoje (1º)

Estados brasileiros da região Norte e Nordeste, que tenham distribuidoras de energia elétrica ligadas à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), terão aumento no valor da conta de luz a partir desta terça-feira (1º). A Reguladora decidiu pela cobrança na bandeira vermelha patamar 2 nesta segunda-feira (30), sendo o maior no sistema de bandeiras da agência.

Conta de luz aumenta NESSES estados a partir de hoje (1º)
Conta de luz aumenta NESSES estados a partir de hoje (1º) (Imagem: Beto Novaes/EM/D.A Press)

Cidades de todos os estados das regiões Norte e Nordeste do país sentirão a cobrança extra, por meio das distribuidoras de energia elétrica atuantes no:

  • Ceará
  • Pernambuco
  • Maranhão
  • Sergipe
  • Paraíba
  • Bahia
  • Ceará
  • Rio Grande do Norte
  • Tocantins
  • Alagoas
  • Piauí
  • Roraima
  • Amazonas
  • Acre
  • Rondônia
  • Amapá
  • Pará 
  • Roraima

Em maio, a Aneel havia anunciado que não cobraria o valor extra na conta do consumidor até o final de dezembro devido à pandemia do coronavírus. Mas, em reunião extraordinária reportada pelo portal G1, o órgão comunicou o aumento para R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Leia mais: FIM do auxílio emergencial se aproxima; quais benefícios VOCÊ pode receber em 2021?

A escala de cobrança acontece em três níveis de bandeiras: na verde, classificada em condições favoráveis de geração de energia, não há cobrança adicional. Na amarela, em condições menos favoráveis, é cobrado R$ 1,34 a cada 100 kWh consumidos.

Já na vermelha, é cobrado entre R$ 4,16 e R$ 6,24 a cada 100 kWh consumidos; são dois patamares mais caros pelo uso das térmicas. A condição atual atribuída à cobrança está no patamar 2.

Entenda a razão do valor adicional

Segundo o relator da proposta, Efrain Pereira da Cruz, explicou ao portal G1, o despacho de maio foi revogado porque o Brasil voltou aos patamares de consumo anteriores ao início da pandemia. Ele disse ao portal que os baixos níveis dos reservatórios comprometem a oferta de energia.

“Essa condição de oferta adversa, somada à tendência de recuperação de carga da energia aos patamares pré-crise, são indícios concretos de que o mecanismo das bandeiras já merece ser restabelecido e a curto prazo”, justificou o relator.

Leia mais: Auxílio emergencial: Após revisão, governo divulga NOVO calendário para 122 MIL beneficiários

Acionamento de térmicas

Outro apontamento feito é de que há a necessidade de economia. O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, disse ao portal que o órgão enxerga a decisão como um sinal ao consumidor de que é preciso economizar por conta do uso de termelétricas.

Em outubro, o CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico) autorizou o acionamento de termelétricas para garantir o suprimento de energia no país, o que acontece quando o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas está abaixo do recomendado, impactando no valor em decorrência da energia gerada por térmicas.

“É importante dar um sinal ao consumidor de que a geração no país está cara pelo fato de estar sendo atendida por termelétricas, então é importante para o consumidor evitar desperdício de água e de energia”, disse Pepitone.

Jornalista graduada pela FAPCOM (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação). Foi repórter do site MigraMundo e Startupi, atuou na comunicação de ONG e em assessoria de imprensa. Atualmente trabalha como jornalista freelancer e redatora do Jornal O Norte.