Cotas nas eleições 2020: Brasil alcança maior número de candidatos negros e mulheres

Este ano, as eleições municipais batem recorde em quantidade de mulheres registradas e negros são maioria pela primeira vez na história. Dados do TSE confirmam que brancos são minorias e mulheres ocupam mais espaços nestas eleições 2020.

Cotas nas eleições 2020: Brasil alcança maior número de candidatos negros e mulheres
Cotas nas eleições 2020: Brasil alcança maior número de candidatos negros e mulheres (Foto: Reprodução Google)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou que cerca de 545 mil registros foram feitos para as eleições de 2020.

Este ano, os cargos perfeitos e vereadores serão ocupados no municípios de todo o país. O TSE informa que os números de pessoas do sexo feminino representa um recorde referente ao total de candidatos. E, pela primeira vez pessoas autodeclaradas negra (pretas ou pardas) são maioria.

Esses números tem total relação com os as cotas de gêneros instauradas a partir dos anos 90, e as cotas de distribuição das verbas para as campanhas eleitorais, sobre as mulheres. E neste ano, também foram beneficiados candidatos negros.

Para as eleições que acontecem nos dias 15 e 29 de novembro, o TSE aguarda cerca de 645 mil pretendentes a um dos cargos em 2020.

Leia mais: Eleições 2020: TSE lança ‘Pardal’, aplicativo para fiscalização e combate à corrupção

As estatísticas indicam mudanças nas eleições 2020

O TSE contabiliza números com recordes históricos. No ano de 2016, foram registrados 496.927 sem 31,9% do sexo feminino, contando 158.450 de mulheres, já este ano são 545.452 de pretendes ao cargos e 33,1% são mulheres, resultando em 180.799 candidatas, ou seja, quase 20 mil no numero de crescimento.

Pela lei, 30% das vagas de candidatos e as verbas públicas destinadas aos partidos para as campanhas devem ser reservadas para mulheres.

Em 2020 também houve mudanças nos números dos candidatos autodeclarados negros. Nas eleições de 2016, foram contabilizados 47,76% dos candidatos sendo 39,12% pardos e 8,64% pretos. Os brancos totalizavam 51,45% das candidaturas.

Agora, em 2020 o eleitorado apresenta 39,42% de autodeclarados pardos e 10,45% autodeclarados pretos, somando 49,87% de negros nas eleições do pais. Pela primeira vez, brancos ficam em 47,77% do total, resultando em maioria negra.

Os dados geraram repercussão em todo o Brasil. O início deste ano foi marcado por manifestações em prol das causas raciais, pelo caso de George Floyd, homem negro morto pela policia nos Estados Unidos, e no Brasil pelo caso de Miguel, criança de 5 anos que caiu de um prédio em um bairro de classe alta na capital Recife.

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.