Fechamento das fábricas da Ford: O que muda para a economia Brasileira?

Nesta semana, o país foi surpreendido com o anúncio de encerramento das atividades da Ford no Brasil. Com isso, três fábricas sediadas em diferentes estados e que produziam os veículos da montadora terão o funcionamento suspenso: as de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE) – de jipes Troller.

Fechamento das fábricas da Ford: O que muda para a economia Brasileira? (Imagem: Scott Olson/Getty Images   Leia mais em: https://vocesa.abril.com.br/economia/ford-fecha-fabricas-e-marca-o-fim-de-uma-historia-de-um-seculo-no-brasil/)
Fechamento das fábricas da Ford: O que muda para a economia Brasileira? (Imagem: Scott Olson/Getty Images Leia mais em: https://vocesa.abril.com.br/economia/ford-fecha-fabricas-e-marca-o-fim-de-uma-historia-de-um-seculo-no-brasil/)

A fabricante passou mais de 100 anos produzindo automóveis no Brasil e, agora, optou por manter apenas com a operação de vendas e assistência técnica no país, focando em produtos importados – com importação da Argentina e Uruguai – e sem produção nacional.

De acordo com o G1, o fechamento das fábricas se deu devido a uma reestruturação global da montadora, com novas prioridades do portfólio da marca e a cadeia produtiva Argentina. É explicado que o país vizinho possui fornecedores ao seu redor e estrutura para atender ao desejo da estratégia global da Ford.

Outro fator apontado em comunicado sobre o fechamento das fábricas é que a decisão foi tomada pelo impacto da pandemia de Covid-19 na indústria, com a redução de vendas e “anos de perdas significativas”.

Leia mais:  Projeto da Câmara dos Deputados propõe DESCONTOS na compra do carro 0 km

Em carta enviada para os concessionários, e obtida pela Globo, é detalhado que “desde a crise econômica em 2013, a Ford América do Sul acumulou perdas significativas”.

A fabricante diz ainda que a matriz, nos Estados Unidos, tem auxiliado nas necessidades de caixa, “o que não é mais sustentável”, sem contar com a desvalorização da moeda na região.

As unidades de Camaçari e de Taubaté pararam de funcionar imediatamente, mantendo apenas a produção de peças por alguns meses para o estoque. A fábrica de Horizonte (CE) será fechada no último trimestre deste ano.

Segundo o G1, além de lojas e oficinas, serão mantidos o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, além do campo de provas, em Tatuí (SP), e a sede administrativa para a América do Sul, na capital paulista.

Leia mais: IPTU 2021: Passo a passo para emissão da 2ª via e pagamento do imposto

Perda de empregos com o fechamento das fábricas da Ford

As fábricas localizadas em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE) somam 6.171 funcionários no Brasil. Questionada pelo G1, a Ford não detalhou quantas pessoas seriam demitidas com o encerramento das atividades nessas localidades. Apenas disseram que cerca de 5 mil empregos seriam afetados com a reestruturação no Brasil e na Argentina.

O portal explicou que 830 trabalhadores perderão o emprego em Taubaté, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos. Na fábrica de Horizonte, mais 470 funcionários serão demitidos.

Jornalista graduada pela FAPCOM (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação). Foi repórter do site MigraMundo e Startupi, atuou na comunicação de ONG e em assessoria de imprensa. Atualmente trabalha como jornalista freelancer e redatora do Jornal O Norte.