FGTS: Novas medidas de segurança são tomadas após fraudes no saque do benefício

Muitas ações de fraudes estão sendo cometidas pelo auxílio emergencial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço- FGTS, criado para conter os danos econômicos causados pela pandemia. Em virtude disso, a Caixa Econômica Federal adotou novas medidas de segurança.

FGTS: Novas medidas de segurança são tomadas após fraudes no saque do benefício
FGTS: Novas medidas de segurança são tomadas após fraudes no saque do benefício (Imagem: Reprodução IG Economia)

Fraudes no saque do FGTS

Juntamente com a Polícia Federal, a Caixa Econômica estão investigando as quadrilhas que usam informações pessoais de outras pessoas para sacar o dinheiro. Apenas registrando um e-mail falso o grupo de criminosos tem acesso à conta das vítimas.

O saque emergencial do FGTS foi disponibilizado desde junho, de acordo com a data de aniversário dos trabalhadores. O valor do saque é de um salário-mínimo, neste ano o valor é de R$ 1.045,00. A previsão é de que 60 milhões de trabalhadores sejam beneficiadas com o saque emergencial, totalizando R$ 37,8 bilhões pagos.

A Caixa Econômica não divulgou o número de fraudes até o momento dado, todavia, orientou que todas as vítimas devem procurar uma agência presencialmente junto com algum documento original com foto, para relatar sobre o fraude.

Leia mais: FGTS emergencial: Veja como se proteger de golpes no aplicativo Caixa Tem

Novas medidas de segurança

Prevenindo que mais vítimas não cai no golpe, a Caixa Econômica implantou novos critérios de segurança, como: validação digital de dados dos clientes e documental por imagem, monitoramento de cadastros e transações.

  • Não fornecer senhas ou outros dados de acesso em outros sites ou aplicativos;
  • Manter atenção a qualquer atividade e situação não usual, e principalmente não clicar em links recebidos por SMS, WhatsApp ou redes sociais para acesso a contas e valores a receber;
  • Desconfiar de informações sensacionalistas e de “oportunidades imperdíveis”;
  • Links suspeitos podem levar à instalação de programas espiões, que podem ficar ocultos no celular ou computador, coletando informações de navegação e dados do usuário;
  • Utilizar sempre navegadores e softwares de antivírus atualizados;
  • A Caixa jamais pede senha e assinatura eletrônica numa mesma página, sendo a assinatura digitada somente por meio da imagem do teclado virtual;
  • A Caixa não envia SMS com link e só envia e-mails se o cliente autorizar.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.