Governo do Ceará anuncia início de pagamento do auxílio-catador

No estado do Ceará, o governo iniciou o pagamento do auxílio-catador, que visa beneficiar os catadores de matérias recicláveis e de resíduos. A classe é de extrema importância para o processo de reciclagem do lixo no Brasil.

Governo do Ceará anuncia início de pagamento do auxílio-catador (Foto: Reprodução Google)
Governo do Ceará anuncia início de pagamento do auxílio-catador (Foto: Reprodução Google)

O governador do estado do Ceará, Camilo Santana do Partido dos Trabalhadores (PT) começou a pagar o auxílio-catador aos moradores do estado, o programa visa ajudar os catadores, em um momento crítico de insalubridade devido a pandemia da Covid-19.

Auxílio-catador no Ceará

O pagamento começou a ser feito na última quarta-feira (14) e cerca de 1.339 catadores estão habilitados em 48 associações do estado, terão direito ao pagamento.

O chefe do Executivo Estadual, que é responsável pela folha de pagamento, divulgou que o pagamento das duas primeiras parcelas do auxílio, já foram realizadas. O retroativo do mês de julho também está disponível.

O governador Camilo, falou em entrevista que o objetivo do programa é para minimizar os impactos da pandemia, porém também pretende tornar o auxilio permanente.

“Essa foi mais uma ação social do Estado para minimizar os efeitos da pandemia naqueles mais vulneráveis, e que pretendemos mantê-la para o próximo ano”

Leia mais: IDT do Ceará anuncia vagas de emprego abertas para costureira; inscreva-se!

A Lei que regulamentariza os catadores de materiais recicláveis

Em 2010, foi sancionada pelo ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a lei que regulamentariza os catadores de lixo no Brasil. O projeto foi uma conquista para a classe e também para as políticas de meio-ambiente.

“1º Estão sujeitas à observância desta Lei as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, responsáveis, direta ou indiretamente, pela geração de resíduos sólidos e as que desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos. 2º  Esta Lei não se aplica aos rejeitos radioativos, que são regulados por legislação específica.”

Na época, o ex presidente pontuou a importância da consciência do lixo e como descartar os recicláveis.

“Se, por acaso, um prefeito  resolver tirar 200, 300 pessoas que estão na catação para colocar um empresário, ao invés de você dar salário para 300 pessoas, você dá lucro apenas para uma pessoa. Dentro da nossa casa a gente pode contribuir fazendo a coleta correta, separando para que as pessoas tenham facilidade de manusear depois”

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.