MEC autorizou nesta semana retorno das aulas do IFRN

Nesta quarta (12), o Ministério da Educação anunciou a retomada gradativa das aulas do IFRN – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. O retorno das aulas será considerado como uma medida emergencial e valerá para todos os cursos da instituição.

MEC autorizou nesta semana retorno das aulas do IFRN
MEC autorizou nesta semana retorno das aulas do IFRN (Imagem: Reprodução Google)

A medida de retorno gradativo das atividades foi assinada pelo reitor pro tempore do Instituto, Josué Moreira e garante que este método de ensino vai ser neste momento de pandemia e destaca:

Em caráter excepcional, o uso do Ensino Remoto Emergencial em todos os cursos, enquanto durar o período de distanciamento social em virtude da pandemia do novo coronavírus”

Além da decisão de retorno, foi explicado a necessidade de um novo calendário acadêmico que será divulgado posteriormente pela própria comissão.

Possíveis datas de retorno

4 datas estão em análise pela reitoria do Instituto, porém estão sendo observadas as necessidades como um todo. Entre as possíveis datas de retorno estão:

  • 31 de agosto;
  • 14 de setembro;
  • 21 de setembro;
  • 30 de setembro.

Josué Moreira destaca que apesar da sugestão de retorno, a escolha das datas deve ser feita de acordo com cada campi, ao todo são 21. E continua dizendo que o reitor não pode obrigar o retorno das aulas, apenas sugerir.

Leia mais: Rio Grande no Norte tem acréscimo de 8,1% nos impostos

Segundo o reitor pro tempore, das 21 unidades apenas 6 demonstraram interesse de retorno imediato. No entanto, estão sendo criadas duas comissões com intuito estratégico de reformulação do calendário acadêmico e retomada das aulas.

Na relação Covid x Retorno das aulas, o  Conselho Superior do IFRN afirma:

A importância de contribuir com as famílias na retenção das crianças e adolescentes no seio doméstico e familiar, sendo a continuidade dos estudos em confinamento domiciliar uma possibilidade para conter a disseminação do Covid-19

Protesto dos estudantes 

O anúncio de retorno das aulas foi realizado pouco tempo depois de uma reivindicação estudantil em forma de protesto.

Os alunos reclamaram da nomeação de Josué Moreira, reitor que não estava na concorrência das eleições da universidade. O reitor temporário foi admitido com a assinatura realizada pelo até então Ministro da Educação Abraham Weintraub.

Josué Moreira diz estar aberto ao diálogo e finaliza:

vieram fazer aqui não foi reivindicar a questão da volta às aulas, na verdade, estão reivindicando outras coisas, alinhadas a ideais estritamente políticos.

 

 

Facebook Comments