Professores declaram GREVE sanitária após volta das aulas presenciais no Pará

A partir do dia 9 de agosto a rede de ensino do Pará volta para as aulas remotas. Isso porque, os professores declaram greve sanitária 3 dias após a retomada das atividades presenciais.

Professores declaram GREVE sanitária após volta das aulas presenciais no Pará
Professores declaram GREVE sanitária após volta das aulas presenciais no Pará (Imagem/Reprodução: Jovem Pan)

A rede pública do Pará voltou às suas atividades presenciais no início dessa semana, no entanto, outra paralisação vem ai.

Elas serão suspensas, pois, os professores declaram greve sanitária nessa volta as aulas.

Com essa decisão as atividades presenciais serão suspensas, mas o trabalho continua remoto.

“A greve é sanitária porque prevê o teletrabalho. Suspende a presença, mas mantém as aulas por meio virtual“, explica a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará, Sílvia Letícia da Luz.

Porque a greve sanitária na educação do Pará?

A principal reclamação dos educadores é quando a vacinação da classe.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará apenas 3% dos professores está completamente imunizado com as duas doses.

A situação preocupa a coordenadora do sindicato, pois, segundo ela é um risco retornar para as salas de aula sem uma imunização completa.

“Não temos um levantamento, mas temos casos de colegas que pegaram covid-19, depois da primeira dose. No ano passado perdemos mais de duzentos para a doença”, pontuou Sílvia.

Leia mais: Prefeitura de Porto Velho anuncia volta às aulas presenciais em 16 de agosto

Vale lembrar que, pelo planejamento, a vacinação dos professores acontece apenas após a primeira quinzena de setembro.

Com isso, os professores só devem retornar para as salas após esse período.

Além disso, outro ponto levantado é a estrutura das unidades de ensino, de acordo com o sindicato:

“Tem salas sem janelas porque era usado ar condicionado, sem a menor ventilação e sem instalação de ventilador. Outras, sem a menor estrutura para garantir o distanciamento. Em algumas escolas, não tem termômetro, nem tapetes sanitizantes”.

A Secretaria de Estado de Educação do Pará emitiu uma nota em que afirma a manutenção das aulas na rede estadual, já que o retorno foi muito analisado e aprovado.

Além disso, a SEDUC pontuou que as escolas que estão inadequadas fecharão para reparos, mas, as aulas remotas continuarão.

Continue acompanhando O Norte e fique bem informado.

Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora do Jornal O Norte.