Saiba tudo sobre o PIX, a nova forma de pagamento do Banco Central

O PIX é um novo meio de pagamentos e transferências desenvolvido pelo Banco Central com o objetivo de facilitar as transações financeiras. Os bancos começaram a cadastrar ontem segunda-feira (5), os clientes interessados em usar o PIX.

Saiba tudo sobre o PIX, a nova forma de pagamento do Banco Central
Saiba tudo sobre o PIX, a nova forma de pagamento do Banco Central (Imagem: Reprodução Portal Contábeis)

Uso do PIX

A adesão do novo aplicativo é opcional e que não é obrigatório cadastra uma chave para fazer ou receber o PIX. Mas os clientes que optarem por criar a chave de identificação com e-mail, celular ou CPF realizará transações de maneira mais simples e ágil.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), explicou que “Caso o usuário queira usar o sistema de pagamento instantâneo, sem a chave PIX, será preciso digitar todos os dados bancários do destinatário para realizar uma transação”. 

De acordo com o Banco Central, 644 instituições estavam preparadas para iniciar o processo de cadastramento das chaves ontem (5). “Dentre as instituição aprovadas, há uma multiplicidade de agentes, entre bancos, cooperativas, instituições de pagamentos, fintechs, financeiras, entre outros”, informou o Banco Central.

Leia mais: FGTS Emergencial: Veja o que fazer para acessar o aplicativo e se prevenir de golpes

Como cadastrar a Chave PIX

Poderão utilizar o novo aplicativo quem tiver uma conta corrente, conta poupança ou uma carteira digital de uma instituição financeira com cadastro no PIX. Ao entrar no aplicativo bancário ou no seu internet banking, o cliente já vai encontrar a nova opção disponível assim como o TED e o DOC.

As transferências bancárias serão realizadas de maneira mais ágil com a chave PIX. Isso será possível as informações básicas do usuário estará vinculada com os dados completos identificando o cliente.

Os quatro tipos de Chaves PIX disponíveis são:

  • Número de CPF/CNPJ;
  • Endereço de e-mail;
  • Número do telefone celular;
  • EVP (sequência alfanumérica de 32 dígitos que, após solicitação do cliente ao seu banco, será enviada pelo Banco Central à instituição, e com ela será possível criar um QR Code, sem necessidade de ter que informar o CPF, telefone ou email para um desconhecido).

A nova chave de segurança já está sendo usada por golpistas, no entanto, a Febraban afirma os bancos continuam investindo fortemente na segurança, além disso o sistema permite o rastreamento e o PIX será tão seguro assim como o TED e o DOC.

Conforme afirmou o diretor executivo de inovação, produtos e serviços bancários da Febraban, Leandro Vilain:  “O envio do PIX vai ser sempre dentro do aplicativo do banco, seja na internet, seja no celular. Quando você está dentro, você já entrou utilizando sua a senha ou biometria, então está num ambiente seguro, criptografado”.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.