Alta do aluguel! Pesquisa registra aumento de 2,92% nos preços

Nos últimos 12 meses teve uma alta do aluguel.  O Índice Geral de Preços- Mercado (IGP-M) que é utilizado nos reajustes de contratos de aluguéis no Brasil, mostrou que a inflação em 2,92% na segunda prévia de outubro, a taxa foi inferior a segunda prévia do mês de setembro com 4,57%.

Alta do aluguel! Pesquisa registra aumento de 2,92% nos preços
Alta do aluguel! Pesquisa registra aumento de 2,92% nos preços (Imagem: Reprodução TradersClub)

Aluguel mais caro

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV) que realizou a pesquisa, mostrou que o índice acumulado nos últimos 12 meses subiu de 18,20% na segunda prévia de setembro para 20,56% na segunda prévia de outubro.

Nos meses de setembro e outubro os preços no atacado tiveram uma queda. Os valores foram medidos pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, revelando que a taxa de inflação teve um recuo de 6,36% na prévia de setembro para 3,75% na prévia de outubro.

E o Índice de Preços ao Consumidor, responsável pela medição do setor de varejo, subiu de 0,38% para 0,71%. O Índice Nacional de Custo da Construção também cresceu de 0,98% para 1,50%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) que representa 60% do índice geral, apresentou uma alta de 3,75% no segundo decêndio deste mês, deixando para trás o índice de 6,36%  que foi registrado no mesmo período de setembro.

De acordo com André Braz Coordenador dos Índices de Preços, disse que: “O IGP-M não foi criado com o objetivo de parametrizar os contratos de aluguel, mas, sim, para passar uma visão geral sobre o ambiente econômico, baseando-se nos setores de maior peso no PIB. Por isso, considera os aspectos do produtor (IPA), das famílias (IPC) e da construção civil (INCC). Mas como existe desde 1947, ele foi se consolidando como referência de reajuste dos aluguéis”.

Leia mais: FGTS: Saiba como REDUZIR as parcelas habitacionais usando o benefício pelo celular

Financiando um imóvel

No primeiro semestre de 2020, por conta dos juros baixos e que reduziram o o custo do crédito imobiliário, os financiamentos dos imóveis apresentou a maior alta semestral da última década.

O especialista em direito imobiliário e sócio-diretor da SF Consultoria Imobiliária Raphael Samba, disse o seguinte: “É um ótimo momento para fazer a transição do aluguel para a casa própria. Os juros do financiamento estão atrativos. Claro que isso exige uma avaliação da vida financeira para entender se é viável, mas vale considerar a oportunidade que se tem neste período. Em alguns casos, pode ser possível pagar uma parcela menor no financiamento do que no aluguel.”

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.