Pneumologista orienta para os cuidados na flexibilização do distanciamento social

Em relação ao começo da pandemia, Maceió tem registrado uma queda no número de internações e de busca por atendimento em razão da Covid-19. A Santa Casa de Maceió, que chegou a registrar 147 internações por causa da doença, no dia 5 de julho, tinha 88 em suas unidades de internação, sendo 33 delas nas UTIs do hospital. Desde fevereiro, quando iniciou o atendimento de pacientes infectados, a unidade hospitalar havia atendido 1409 casos confirmados, com alta recuperada dada para 369 pacientes que precisaram de internação; 175 dessas altas aconteceram apenas no mês de junho.
Seguindo orientação da gestão estadual e municipal, a capital alagoana avançou para a Fase Laranja (risco moderado alto) e iniciou medidas menos rígidas no plano de distanciamento social controlado e da abertura gradativa de serviços não essenciais. Mas quais os cuidados que a população precisa ter em casa e fora dela para manter a flexibilização e afastar o perigo da contaminação?
A pneumologista Fátima Alécio, da Santa Casa de Misericórdia de Maceió, afirma que os cuidados devem continuar e até serem redobrados quando for necessário ir às ruas. “Entendemos que a retomada das atividades normais é necessária, porém temos que ter muito cuidado. Algumas cidades brasileiras que abriram suas economias precisaram recuar. Em Alagoas, a curva ainda está muito alta, com um grande número de casos de contaminação e o aumento da ocupação em UTIs. Por isso é importante que as pessoas continuem com a consciência de que o isolamento social continua, só se deve sair em momento de extrema necessidade e sempre utilizar todas as regras de higiene e de distanciamento”, disse a especialista.
Quem precisa ir ao mercado, por exemplo, deve preparar uma lista de compras para duas semanas para reduzir o número de idas ao local. Chegando ao mercado, higienizar com álcool gel o apoio de mão do carrinho e não tocar olhos, nariz e boca. Além disso, outras recomendações básicas devem ser seguidas, como manter a distância mínima de um metro e meio das pessoas, evitar aglomerações e usar máscaras. Ao retornar para casa, o calçado deve ficar do lado de fora de casa e higienizar a roupa que usou na rua. Lavar bem as mãos e todas as áreas expostas, como braços e rosto, também é fundamental.
Regras precisam ser seguidas para sucesso da reabertura das atividades
Para a reabertura das atividades não essenciais, o Município vai manter barreiras sanitárias móveis em todas as entradas do Centro da cidade com aferição da temperatura corporal e fiscalização da utilização obrigatória de máscaras. No calçadão do comércio, por exemplo, lojas até 400 metros quadrados estão autorizadas a funcionar seguindo as regras de higienização e distanciamento social.
As praças e a orla também foram reabertas para a população com a permissão da prática de atividades físicas nestes espaços – corrida, caminhada, ciclismo – respeitando a distância de 10 metros no mesmo fluxo e 2 metros no fluxo contrário. Já é permitido o acesso à praia e banho de mar (o uso de máscara é obrigatório antes e depois), porém, a utilização de equipamentos e mobiliários de uso coletivo como parquinhos infantis, academias, o uso de mesas, cadeiras, bancos, caixas térmicas e guarda-sóis, consumo de bebidas alcoólicas e comércio de qualquer ordem segue proibido. O estacionamento de veículos nos espaços públicos da orla será liberado, mas em vagas intercaladas.
Com a flexibilização das atividades, as pessoas que fazem parte do grupo de risco devem continuar atentas. “Não temos um nenhum número confortável para que essas pessoas possam voltar às suas atividades. Todo cuidado é pouco. Também alertamos que todas as pessoas que apresentarem sintomas leves precisam procurar ajuda médica o mais rápido possível. Hoje isso é mandatório para que o médico possa acompanhar e ver se há sinais de gravidade. Inicialmente, a recomendação é era ficar em casa; hoje o conhecimento da pandemia nos mostra que todo paciente com sintoma deve procurar ajuda médica”, disse Fátima Alécio.
Enquanto durar a Fase Laranja do Plano de Distanciamento Social Controlado, também foi autorizada a reabertura das seguintes atividades: salões de beleza e barbearias, com o quadro de funcionários reduzido em 50% e dos templos, igrejas e demais instituições religiosas, funcionando com 30% de sua capacidade.
As máscaras de proteção devem ser utilizadas em locais públicos e em locais de uso coletivo, ainda que privados. “É preciso que o cidadão seja consciente e não aglomere ou vá em grupo às praias, por exemplo. A doença parece que está controlada em Maceió, pois diminuímos o número de sepultamentos nos cemitérios públicos e a busca por atendimentos em postos de saúde também caiu, mas estamos em uma pandemia e não devemos brincar com o novo coronavírus. Caso as determinações sejam descumpridas, teremos que fechar tudo novamente”, enfatizou o prefeito de Maceió, Rui Palmeira.
*Com assessoria

 

Fonte: Cada Minuto