Após polêmicas, família Bolsonaro tende a ser vetada de participar de eleição 2020 dos EUA

O presidente do Comitê de Relações Internacionais da Câmara dos Estados Unidos, Eliot Engel, se manifestou contrário ao apoio de Eduardo Bolsonaro à reeleição de Donald Trump. A declaração foi divulgada no perfil do Comitê em uma rede social após um post do deputado com a inscrição “Trump 2020”, acompanhado por um vídeo da campanha presidencial do candidato norte-americano.

Após polêmicas, família Bolsonaro tende a ser vetada de participar de eleição 2020 dos EUA
Após polêmicas, família Bolsonaro tende a ser vetada de participar de eleição 2020 dos EUA. (Foto: Alan Santos/PR)

Engel escreveu: “Já vimos esse manual antes. É vergonhoso e inaceitável. A família Bolsonaro precisa ficar de fora das eleições nos EUA”. O deputado Bolsonaro já havia declarado apoio a Trump em outras ocasiões. Em 2018, durante uma viagem aos Estados Unidos, ele conversou com jornalistas usando um boné com a inscrição “Trump 2020”.

Eleição 2020 deve ser acirrada nos EUA

A assessoria do deputado, o Itamaraty e a Presidência não se posicionaram sobre o assunto após a postagem de Engel. Em novembro, Trump buscará a reeleição à Casa Branca, tendo como principal adversário o democrata Joe Biden, ex-vice presidente durante a gestão de Barack Obama. Por enquanto, Biden aparece como favorito nas pesquisas de intenção de voto na maioria dos estados.

Mesmo que não seja comum presidentes apoiarem candidatos de outros países, Jair Bolsonaro tem se posicionado sobre eleições internacionais. O presidente brasileiro já disse que torce por Trump e que tentará manter uma boa relação com Biden, se o democrata vencer as eleições. Em junho de 2019, também comentou o apoio à reeleição de Trump, em uma viagem ao Japão.

Leia mais: Eleições 2020: Presença de mesários se torna incerta por causa da pandemia.

Bolsonaro também se posicionou a favor de Maurício Macri nas eleições da Argentina, em 2019. Após a derrota do candidato, se recusou a cumprimentar o novo presidente, Alberto Fernández, e disse lamentar a escolha dos argentinos.

Eduardo Bolsonaro foi cogitado pelo pai para assumir a Embaixada do Brasil em Washington. A ideia foi abandonada por conta da desaprovação entre os senadores e das polêmicas em que o deputado se envolveu na época. Antes da posse do pai, Eduardo foi aos Estados Unidos para se encontrar com lideranças republicanas e com o ex-estrategista de Trump, Steve Bannon, e também usou um boné em apoio à reeleição do atual presidente americano.

Facebook Comments

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.