Aulas presenciais são retomadas no Amapá com 60% da capacidade total

Aulas presenciais são retomadas no Amapá com mais da metade das escolas municipais. De acordo com a Secretaria de Educação cada instituição de ensino possui seus próprios protocolos para essas atividades. 

Aulas presenciais são retomadas no Amapá com 60% da capacidade total
Aulas presenciais são retomadas no Amapá com 60% da capacidade total (Imagem/Reprodução: Lincoln Ferreira/Seduc-AM)

Uma semana de escolas abertas no Amapá e das 394 instituições da rede pública de ensino, 60% retomou suas atividades presenciais já; os dados foram apresentados pela Secretaria de Estado da Educação (Seed).

Também de acordo com a Seed, cada escola teve que se reunir com os funcionários e os pais para a elaboração do plano de retorno às aulas presenciais.

“Cada escola tem um plano de ação. A mantenedora deu as diretrizes estrategicas, orientando toda a questão da biossegurança, dos cuidados sanitários. Aqui no Mário Quirino, a exemplo de outras escolas, temos um plano estratégico, dialogado com a comunidade”, afirmou a secretária de educação Goreth Sousa.

Volta às aulas presenciais no Amapá

Como parte dos procedimentos de retorno das atividades presenciais nas escolas, os estudantes tiveram que seguir os protocolos elaborados.

Vale lembrar que cada escola fez os seus protocolos, mas algumas questões são comuns a todos, por exemplo, o uso de máscara, a higienização das mãos e o distanciamento entre as mesas.

Além disso, é possível que mudanças sejam feitas nos protocolos após o retorno das aulas.

Mas, para isso, é necessário garantir a segurança de todos.

Leia mais: Macapá inicia vacinação para jovens de 18 anos sem agendamento

Para se ter uma noção das diferenças entre as instituições:

Na escola Mário Quirino, na Zona Sul de Macapá, quatro turmas do 3º ano do ensino médio puderam voltar às aulas.

Apenas esses estudantes estão em sala de aula presencial nessa instituição.

Enquanto que na escola Dom Aristides Piróvano, no Centro, ainda não aconteceu o retorno.

No entanto, os pais e responsáveis pelos estudantes participa de uma consulta pública.

Nesse caso, até então apenas os estudantes do 9º ano do ensino fundamental voltam para as aulas presenciais.

A Secretaria de educação afirmou que está trabalhando para ir identificando os problemas.

“Estamos trabalhando com uma avaliação diagnóstica com 100% dos estudantes da rede estadual e municipal. Com esse diagnóstico, a Seed a partir de setembro começa a dar essa devolutiva para que os professores possam planejar individualmente o atendimento e reduzir os prejuízos”, acrescentou a secretária.

Continue acompanhando O Norte e fique bem informado.

Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora do Jornal O Norte.