Auxílio Emergencial: Benefício pode ser prorrogado para 2021; veja DETALHES aqui!

O auxílio emergencial está sendo cogitado em ser prorrogado, já que o novo programa social não deve sair até janeiro de 2021. O Renda Cidadã é um novo programa social que está sendo criado pelo governo, porém, os analistas veem esse novo programa como um alto risco de teto de gastos.

Auxílio Emergencial: Benefício pode ser prorrogado para 2021; veja DETALHES aqui!
Auxílio Emergencial: Benefício pode ser prorrogado para 2021; veja DETALHES aqui! (Imagem: Reprodução Jornal Contábil)

Renda Cidadã e auxílio emergencial

O governo luta contra o tempo para construir o Renda Cidadã, programa que irá substituir o Bolsa Família, antes de janeiro de 2021. Essa corrida da-se pelo fato de não ter repasses previstos do auxílio emergencial em 2021. No entanto, os analistas políticos estão com dificuldades de encontrar espaço na agenda legislativa para aprovar o Renda Cidadã, pois, restam apenas dois meses para o fim do ano e a chegada das eleições municipais está próxima.

O objetivo do governo com a criação do novo programa social é para substituir o Bolsa Família, ampliar a base dos beneficiários e elevar os repasses mensais. Ele irá suceder o auxílio emergencial, que foi criado exclusivamente para diminuir os efeitos negativos causados pela pandemia do coronavírus.

Um dos obstáculos para à aprovação do novo programa são às eleições municipais, as pautas cheias e as dificuldades de articulação política do governo, fazendo com que o ritmo de trabalho no parlamento esfriem ao tratar-se do Renda Cidadã.

Leia mais: Saiba como acompanhar o pagamento do Bolsa Família pelo SEU celular

Segunda opção

Um dos especialistas políticos diz que: “Além das dificuldades de articulação políticas crônicas, que diminuíram ao longo dos últimos meses mas ainda existem, o Planalto enfrentará um calendário muito restrito, não apenas pelas eleições, mas também pelas diversas matérias relevantes que aguardam deliberação, como a regulamentação do novo Fundeb”.

Por fim ele complemena: “Dependerá, provavelmente, da convocação extraordinária do Congresso durante o recesso para conseguir tempo e espaço político suficientes para aprovar toda a sua agenda. Chances, portanto, de que opte por uma solução mais simples e faça um esforço reduzido para aprovar apenas o Orçamento e outras peças essenciais de sua agenda, o que certamente manterá no horizonte as incertezas sobre a política fiscal”.

Caso o Renda Cidadã não saia do papel até janeiro, 50% dos analistas acreditam em uma nova prorrogação do auxílio emergencial – 29% esperam que com despesas fora do teto de gastos, e 21% dentro da regra fiscal. Outros 43% esperam que o auxílio seja encerrado e o Bolsa Família retomado como previsto na peça orçamentária encaminhada pelo governo federal em agosto.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.