Auxílio emergencial: Disputa pela Câmara quer definir possível prorrogação

A extensão do auxílio emergencial tornou-se um dos temas centrais da disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Os dois principais candidatos ao cargo já se mostraram favoráveis a discutir novos pagamentos e a equipe econômica do governo começa a cogitar a ideia. Mas, se o benefício for renovado, as parcelas devem ficar abaixo de R$ 300.

Auxílio emergencial: Disputa pela Câmara quer definir possível prorrogação
Auxílio emergencial: Disputa pela Câmara quer definir possível prorrogação. (Imagem: Saulo Cruz / Câmara dos Deputados)

A pressão pela prorrogação do auxílio tem aumentado com a nova alta de casos do novo coronavírus e o número de mortes pela doença no Brasil, que já passou de 200 mil.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já admitiu a possibilidade de renovação, mas nenhuma ação concreta foi tomada até o momento. Em 2020, o governo gastou R$ 322 bilhões com o pagamento do auxílio.

Leia mais: Renovação da CNH: Confira PRAZOS do Detran para atualizar o documento em 2021

Possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial

Além da movimentação de alguns parlamentares para a retomada do benefício e manutenção do estado de calamidade pública, os candidatos começaram a posicionar-se sobre o tema.

O deputado Baleia Rossi (MDB-SP) já defendeu uma nova rodada do auxílio emergencial ou a extensão do Bolsa Família, projeto que vinha sendo defendido também pela equipe econômica.

Segundo ele, o debate precisa considerar a responsabilidade fiscal e a dificuldade de muitos brasileiros que deixarão de ter condições de comprar o básico.

O principal adversário dele, deputado Arthur Lira (PP-AL), também tem defendido o fortalecimento de políticas sociais. No Twitter, o candidato já fez publicações defendendo a reorganização de programas, levando em consideração a austeridade fiscal e o teto de gastos.

O governo aguarda o resultado da disputa pela presidência da Casa para definir uma possível prorrogação.

Leia mais: Deputados discutem volta do auxílio emergencial ou aumento do Bolsa Família em 2021

Relembre o benefício de 2020

O último depósito do auxílio emergencial foi em 29 de dezembro, mas os beneficiários ainda podem movimentar o dinheiro recebido em Conta Poupança Social Digital.

O benefício começou a ser pago em abril, no valor de R$ 600 ou R$ 1.200 para mães de família. Ao todo, foram cinco parcelas.

Posteriormente, o auxílio emergencial extensão contemplou até quatro parcelas no valor de R$ 300 pago e, no caso das mães chefes de família, de R$ 600.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.