Bolsonaro fala sobre expectativas para criação de novo partido até MARÇO

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou sobre a definição de um novo partido até o mês de março. Segundo ele, a nova filiação faz parte dos preparativos para 2022, ano em que deve disputar a reeleição à presidência da República. Ele deixou o PSL em novembro de 2019.

Bolsonaro fala sobre expectativas para criação de novo partido até MARÇO
Bolsonaro fala sobre expectativas para criação de novo partido até MARÇO. (Imagem: Reprodução Google)

O governante já havia iniciado o processo para a criação de um novo partido no mesmo ano, o Aliança pelo Brasil, mas não conseguiu a quantidade de assinaturas necessárias para registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo Bolsonaro, a decisão sobre a nova legenda será em março.

Preparação de Bolsonaro para as eleições 2022

O presidente rompeu com o PSL por divergências com um grupo de parlamentares e com o presidente do partido, deputado federal Luciano Bivar (PE).

Segundo Bolsonaro, se o novo partido não decolar até março, ele terá que estudar outra filiação para a disputa do próximo ano.

Mesmo que não tenha lançado a candidatura à reeleição oficialmente, a presença do atual chefe do executivo nas próximas eleições é dada como certa.

Desde o ano passado, Bolsonaro tem percorrido o país em ritmo de campanha, participando de inaugurações e entregas do governo.

Leia mais: Confira o resultado da pesquisa Datafolha sobre impeachment de Bolsonaro

Para ele, a maior dificuldade para a criação do Aliança pelo Brasil é burocrática. Além disso, há os prazos do TSE. A colheita de assinaturas também foi prejudicada pela pandemia do novo coronavírus. Segundo o presidente, não é fácil conseguir 500 mil fichas certificadas.

Bolsonaro também disse ainda que não estaria fazendo campanha para 2022 ao promover a mobilização pela criação do novo partido.

Para ele, o objetivo é lançar uma agremiação para os apoiadores que simpatizam com suas ideias, de forma que também pudessem concorrer a cargos políticos.

Durante a carreira política, Bolsonaro trocou de partido por oito vezes, passando por PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PP e PSC antes do PSL.

A última troca antes das eleições de 2018 ocorreu em março daquele ano. À época, o partido era nanico e cresceu com a presença do candidato à presidência.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.