COVID-19: Belém, Salvador, João Pessoa e Maceió suspendem aplicação da vacina

Para vacinação contra COVID-19: Belém, Salvador, João Pessoa e Maceió suspendem aplicação da vacina. O motivo se dá pela falta de imunizantes nos estados. As prefeituras das capitais aguardam o envio de novos lotes da vacina através do Governo Federal!

COVID-19: Belém, Salvador, João Pessoa e Maceió suspendem aplicação da vacina
COVID-19: Belém, Salvador, João Pessoa e Maceió suspendem aplicação da vacina (Reprodução: Google)

COVID-19: Belém, Salvador, João Pessoa e Maceió suspendem aplicação da vacina

Com a falta de vacinas, cinco das 26 capitais brasileiras suspenderam o processo de imunização com a 1º dose. Salvador, Brasília, Campo Grande, João Pessoa e Rio de Janeiro enfrentam dificuldades para proteger a população da Covid-19. 

Atualmente, a capital do estado do Pará, Belém, suspendeu nesta segunda-feira (26) a aplicação das duas doses da vacina. O motivo se dá pela falta de imunizantes no estado. 

As 5 capitais dão continuidade ao reforço da vacinação, com a 2º dose. Contudo, é possível que os cidadãos que ainda não tomaram a primeira, tenham que esperar alguns dias para se vacinar.

Em todo Brasil, os estados e suas capitais estão se mobilizando para vacinar toda população. O plano é que até o final deste ano, mais de 50% da população brasileira já esteja completamente imunizada. Contudo, com a suspensão dos insumos, o avanço da vacinação em massa é prejudicado. 

Para capitais como Maceió e Florianópolis, a aplicação da 1º dose está disponível apenas para mulheres grávidas e puérperas, que acabaram de passar pelo parto. Esse grupo específico está entre as prioridades no Plano Nacional de Imunização, pensado e organizado pelo Governo Federal em conjunto com o Ministério da Saúde.

Leia também:Renda Pará: Beneficiários devem sacar valores até a próxima terça (27)

Boletim de vacinação

Para os cidadãos salvadorenses, a aplicação da primeira dose da vacina contra Covid-19 foi suspensa no último sábado (24). A falta de vacinas é um problema que atinge algumas capitais no Brasil, e agora, a Bahia deve aguardar o envio de novos imunizantes. 

As vacinas serão destinadas para a Secretária Municipal da Saúde (SMS), e os profissionais já informaram que estão aguardando respostas do Governo Federal. A ampliação da vacinação é um dos maiores objetivos nesse momento. 

Na capital do Brasil, Brasília, pessoas com 37 anos ou mais estão na fila para serem vacinadas.

Gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e com deficiência devem agendar no site oficial da Secretaria de Saúde do estado para garantir a imunização contra a Covid-19. Contudo, os cidadãos devem aguardar notícias sobre o novo lote da vacina.

No Mato Grosso do Sul, a capital Campo Grande já está a mais de três dias com atraso na vacinação. A suspensão da primeira dose também se deu pela falta de imunizantes.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) informou que apenas moradores que estão aguardando a segunda dose, podem se vacinar com a CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer. Na capital, mais de 15 locais são pontos de vacinação e o agendamento é obrigatório.

Além disso, na capital paraibana, João Pessoa, o processo de vacinação em massa começou no mês de Janeiro, e já avançou para a faixa etária de 33 anos ou mais.  Agora, quem ainda não tomou a primeira dose, deve aguardar a chega de novos insumos na capital.

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.