Crise do novo coronavírus afeta remuneração de milhares de trabalhadores no Ceará

Com as medidas de distanciamento social adotadas pelo estado do Ceará a fim de evitar  aglomerações e possíveis contágio do novo coronavírus (Covid-19), houve impactos também no mercado de trabalho. A medida de isolamento, que perdura desde que começou a pandemia no país, já deixou cerca de 397 mil pessoas no estado sem remuneração. 

Crise do novo coronavírus afeta remuneração de milhares de trabalhadores no Ceará
Crise do novo coronavírus afeta remuneração de milhares de trabalhadores no Ceará (Imagem: Reprodução Google)

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD-COVID) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Ministério da Saúde. 

Nos primeiros resultados da pesquisa, o total de pessoas sem renda durante esse período de distanciamento social chega a 53,9% em relação às que estavam afastadas de seus postos de trabalho. Um número que equivale a 13,2% da população com alguma ocupação no Ceará. Já a taxa de desocupação no estado é de 12,2%.

Cerca de 744 mil pessoas no estado estavam afastadas de seus postos, segundo a pesquisa divulgada pelo IBGE. Dentro desse número, 21,3% estavam afastados por causa do distanciamento social. 

Em relação ao total ocupado, 2,3 milhões de pessoas não afastados, um número que representa 75,3%. Ademais, os que não estavam trabalhando remotamente, a porcentagem é de 14,3%.

Leia mais: Pagamento em espécie do FGTS emergencial começam sábado (25)

Além disso, em relação ao rendimento médio real efetivamente recebido pelos cearenses é de R$ 1.376, enquanto que o rendimento normalmente recebido é de R$ 1.681, conforme apontado pela pesquisa. 

No que se refere a horas de trabalho, as pessoas com alguma ocupação no Ceará tiveram um acréscimo na quantidade. Sendo assim, 28,4% das pessoas trabalharam mais do que o habitual. Por outro lado, 80 mil pessoas tiveram suas horas de trabalho reduzidas. Essas 80 mil pessoas representam a porcentagem de 3,5% total das pessoas com ocupações. 

Pesquisa realizada pelo IBGE

A pesquisa monitora os impactos que a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no mercado do trabalho em todo o território nacional, além de estimar o número de pessoas com sintomas associados à síndrome gripal. 

Desse modo, a pesquisa começou a ser realizada a partir do dia 04 de maio deste ano, realizando entrevistas por telefone em cerca de 48 mil domicílios, por semana. No total, foram aproximadamente 193 mil domicílios contatados por mês, em todo o país. 

Porém, as estatísticas que foram coletadas são classificadas como experimentais. Dessa forma, o IBGE destaca que os dados devem ser usados com cautela, pois são estatísticas novas, que ainda estão em fase de teste e sob avaliação. 

Coronavírus no Ceará

Até o fechamento desta matéria, o estado do Ceará conta com 159.93 casos confirmados. Ao todo, 131.816 pessoas conseguiram se recuperar, enquanto que 75.509 casos estão considerados como suspeitos. Até o momento, 7.465 pessoas morrem por Covid-19 na região. 

Mariana Cristina Rocha dos Santos é formada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo. Possui experiência em comunicação interna e externa no Teatro Carlos Gomes, espaço histórico-cultural capixaba. Além de produção para televisão, com pautas para programa de entretenimento, chamadas televisivas, spot para rádios e mídias sociais na TV Gazeta (afiliada à Rede Globo). Atualmente dedica-se à redação do Jornal O Norte.