Dono da Havan visita Maceió e prevê instalação de loja na cidade

O dono da empresa brasileira Havan, Luciano Hang, visitou a cidade de Maceió na semana passada e compartilhou fotos da viagem em uma rede social. O empresário anunciou que fez uma série de viagens, passando pelas regiões do norte e nordeste do país, onde estão plantando novas megalojas da rede varejista. 

Dono da Havan visita Maceió e prevê instalação de loja na cidade
Dono da Havan visita Maceió e prevê instalação de loja na cidade (Imagem: Instagram Luciano Hang)

Entre os locais onde terão uma nova loja da Havan está a capital do estado de Alagoas: Maceió. Além disso, o empresário também passou por cidades como Natal (Rio Grande do Norte), João Pessoa (Paraíba) e Campina Grande (Paraíba).

Aliás, ainda no estado de Alagoas, Luciano Hang visitou  a loja Carajás Home Center, local onde tirou fotos com seguidores e compartilhou, também, em sua rede social. 

Ademais, o empresário declarou que gosta de acompanhar cada local onde será instalada e que considera cada espaço “como se fosse uma filha”. Sendo assim o motivo para viajar, ir até os locais e avaliar os terrenos. 

Cada Havan que nasce é como se fosse uma filha minha, por isso quero o melhor terreno, as melhores e mais modernas instalações, os melhores colaboradores e o melhor atendimento. Nunca será apenas mais uma loja, será sempre a melhor loja”, disse em rede social. 

Polêmicas envolvendo o dono da Havan

O empresário está entre os homens mais ricos do mundo. De acordo com a revista Forbes, Hang está entre os 45 brasileiros na casa dos onze dígitos. Isto é: possui uma fortuna de aproximadamente 3,6 milhões de dólares, o que representa R$ 18 bilhões.

Leia mais: Eleições 2020: Quem será o próximo prefeito de Maceió? Confira pré-candidatos

Apesar do dinheiro e do crescimento da rede Havan, Luciano Hang também está envolvido em polêmicas. Em junho deste ano, o empresário foi condenado, pela 2º Vara da Justiça Federal, à pagar R$  300 mil de indenização por danos morais coletivos. Isso, aliás, por conta de publicações em redes sociais consideradas ofensivas à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). 

Também no mesmo mês, o dono da Havan foi alvo da Receita Federal por sonegação de contribuição previdenciária, com um crédito tributário cobrado pela empresa que chegou a R$ 2.486.973,20. Algo semelhante o levou a ser condenado em segunda instância no ano de 2003. 

Apesar das polêmicas, a empresa cresce no mercado 

Conforme publicado em suas redes sociais, Luciano Hang realizou uma viagem, na última semana, onde passou por nove estados e quatorze cidades onde há possibilidades de serem instaladas as novas megalojas da Havan. 

Em sua rede social, o empresário enfatizou também o interesse por conhecer os locais e acompanhar todo o processo. 

Eu acompanho todo processo. Participo da decisão de escolha de cada terreno, vejo os projetos, vistorio as obras e os detalhes das lojas depois de prontas”, disse. 

Facebook Comments