É falso que hospitais estejam registrando vítimas de acidentes como Covid-19

São falsos os vídeos e mensagens que circulam em grupos de WhatsApp de Alagoas afirmando que pessoas falecidas em decorrência de acidentes ou outras doenças estariam sendo registradas, na certidão de óbito, como casos suspeitos de Covid-19, acarretando em problemas aos familiares para a realização dos funerais. Pacientes que deram entrada nos hospitais por outros motivos podem vir a apresentar sintomas do coronavírus durante o tratamento. Nesses casos, serão seguidos todos os protocolos para casos suspeitos de infecção.
“Minha irmã teve um acidente, teve um traumatismo craniano e outras coisas a mais. Só que saindo do HGE eles colocaram como suspeita do Coronavírus. Sem poder abrir o caixão porque eles não permitem. […] Eu tenho convicção e a família tem convicção de que ela não estava com coronavírus coisa nenhuma”, diz homem em vídeo gravado em cemitério não identificado.
Em nota, a gerência do Hospital Geral do Estado (HGE) informa que segue as recomendações do Ministério da Saúde para o manejo de corpos no contexto do novo coronavírus. E lembra que, além disso, enterros e velórios devem respeitar o disposto nos decretos municipais que disciplinam novas regras para as cerimônias, seja de casos relacionados à doença ou não.
“Para casos suspeitos ou confirmados para Covid-19, o reconhecimento do corpo passou a ser limitado a um único familiar ou responsável legal. É necessário manter a distância de dois metros entre o corpo e o visitante. Aproximações são autorizadas mediante uso de máscara cirúrgica, luvas e aventais de proteção”, informa o hospital.
No caso de pacientes que entraram na unidade hospitalar por conta de acidentes ou de outras doenças e acabaram vindo a óbito, será verificado se antes do falecimento apresentaram algum sintoma de Covid-19. Em caso positivo, o manejo do obituado seguirá os protocolos para suspeita de coronavírus.
De acordo com o decreto nº 8.908, da Prefeitura de Maceió, casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus deverão seguir as seguintes regras para velórios e enterros:

Duração máxima de 01 (uma) hora por velório e enterro, com o caixão fechado.
Limite de 10 (dez) pessoas por velório e enterro.
Proibição do procedimento de tanatopraxia (preparação para velórios).
Os outros casos de óbitos na capital também devem seguir certos protocolos:
Duração máxima de 03 (três) horas por velório e enterro.
Limite de 20 (vinte) pessoas por velório e enterro.
Evitar tocar na pessoa velada.

Ainda de acordo com o decreto municipal, em ambos os casos os idosos com mais de 60 anos, doentes crônicos e as pessoas suspeitas de terem contraído coronavírus não devem comparecer a velórios e enterros.

*Com Agência Alagoas

 

Fonte: Cada Minuto