Frota de ônibus reduzida traz insatisfação e espera para população de RN

Demora faz usuários do transporte público esperarem 1 hora na região metropolitana de Natal -RN. Moradores reclamam que com a redução da frota, que aconteceu em março, a espera pelo transporte tem sido muito grande.

Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Rio Grande do Norte
Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Rio Grande do Norte. (Fonte: Google)

Entre as medidas de combate ao Corona vírus, o governo do Rio Grande do Norte decidiu suspender o transporte público nos finais de semana e reduzir a frota em 50% durante a semana. A medida adotada em março vem causando transtorno desde então.

Impactos da redução

Quando anunciada a redução da frota, em 20 de março. Se maginou que a população não seria tão afetada, pois o isolamento social era mais rígido.

“Os shoppings estão fechando e outros estabelecimentos também. Serão reuniões diárias para ir adequando isso. Mas, inicialmente, vamos rodar com 50% entre segunda e sexta. O importante é proteger a nossa população, menos gente circulando na rua”, disse o presidente da Federação das Empresas de Passageiros do Rio Grande do Norte (Fetranor).

No entanto, com a retomara gradual das atividades econômicas, consequentemente aumento da circulação de pessoas, a população vem reclamando que a quantidade de circulação de veículos não acompanhou essa retomada.

Um dos moradores de Natal e usuário do transporte público aponta para o problema.

“Moro há 30 anos no bairro e sempre tivemos problema com transporte público, mas na pandemia ficou ainda pior”.

Leia mais:Apesar do distanciamento obrigatório, passageiros de Natal- RN sofrem com superlotação no transporte público

Por meio do Decreto, a Governadora do estado, Fátima Bezerra, determinou que as empresas de transporte público do Rio Grande do Norte retornem à circulação de 100% . Começando a partir de 21 de agosto.

O decreto também estabelece que os horários precisam ser respeitados pelas empresas que compõem o Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Rio Grande do Norte (STIP/RN).

As empresas devem seguir todos os protocolos de segurança necessários. Mas, o diretor de transporte do Departamento de Estradas de Rodagem também atribui responsabilidade à população. Para ele, o cidadão potiguar precisa evitar os horários de pico, pois, antes da pandemia a superlotação já acontecia nesses horários.

Facebook Comments

Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha com professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora do jornal O Norte.