Eleições 2020: TSE divulgou quais regras precisam ser respeitadas no dia da votação

Nas eleições 2020, milhões de brasileiros vão às urnas para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Para garantir a segurança de todos, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) elaborou uma série de medidas que precisam ser respeitadas nos dias do pleito para evitar o contágio pelo vírus da Covid-19.

Eleições 2020: TSE divulgou quais regras precisam ser respeitadas no dia da votação
Eleições 2020: TSE divulgou quais regras precisam ser respeitadas no dia da votação. (Imagem: Divulgação)

O primeiro turno será no dia 15 de novembro e o segundo turno em 29 de novembro. O horário de votação foi estendido e será das 7 às 17 horas, sendo que as três primeiras horas do dia serão preferenciais para pessoas com mais de 60 anos.

Veja as regras definidas para as eleições 2020

O uso de máscaras será obrigatório e os eleitores só poderão entrar nos locais de votação com o acessório. Não será permitido se alimentar, beber ou realizar qualquer ato que exija a retirada da máscara. As mãos serão higienizadas com álcool em gel antes e depois de votar. A identificação biométrica será dispensada e o TSE recomenda que cada eleitor leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação.

O distanciamento de um metro será exigido na fila e entre as demais pessoas que estivem na sala. A Justiça Eleitoral recomenda que os eleitores que estiverem com sintomas de Covid-19 compareçam ao local de votação. A justificativa poderá ser feita pelo aplicativo e-Título.

Leia mais: Eleições 2020: E-Título terá foto e se torna o documento oficial na votação

O TSE também elaborou um passo a passo do eleitor dentro da seção de votação. O fluxo será orientado pelos mesários. Primeiramente, o eleitor vai entrar na seção eleitoral e se posicionar na frente do mesário, respeitando o distanciamento de um metro. Sem contato, ele vai erguer o braço e mostrar seu documento oficial com foto.

O mesário vai confirmar as informações e pedir que o eleitor higienize as mãos para, em seguida, assinar o caderno de votação com sua própria caneta. O eleitor receberá seu comprovante de votação e será autorizado a se dirigir à cabine de votação. Na urna eletrônica, deve digitar os números do candidato e apertar a tecla confirma após cada voto. Na saída, é preciso higienizar as mãos novamente com álcool em gel.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.