Governo pretende CORTAR verbas da educação para criação do Plano Pró-Brasil

No Brasil, ministério da Educação sofrerá grande impacto na educação básica, cortes milionários serão feitos. A Agricultura, e o Turismo também estarão no processo de cortes de verbas para que investimentos sejam destinados ao Plano Pró-Brasil.

Governo pretende CORTAR verbas da educação para criação do Plano Pró-Brasil
Governo pretende CORTAR verbas da educação para criação do Plano Pró-Brasil (Foto: Reprodução Google)

O Governo Federal anunciou cortes de investimentos na Educação, na Agricultura do Brasil e também em alguns programas sociais para crianças. O objetivo é transferir as verbas para agilizar o Plano Pró-Brasil, que visa a retomada da economia brasileira através de infraestrutura e criação de novos empregos.

O governo do presidente Jair Bolsonaro esclareceu também que a inauguração de obras pelo país pode auxiliar na popularidade do atual governo.

A Junta de Execução Orçamentária (JEO) foi quem decidiu onde os cortes seriam processados. O Ministério da Defesa, também sofrerá cortes mesmo sendo o órgão que tem bastante assistência do governo federal. Segundo as informações disponibilizadas pelo Estado, o valor foi de aproximadamente R$430 milhões.

Mesmo com a decisão tomada, ainda há muito o que fazer para a finalização do processo. A junta que divulgou, poderá reanalisar o veredito. Os ministérios poderão ainda manifestar sua críticas e pedidos de reconsideração dos cortes, em uma reunião com a JEO, no intuito de encontrar a melhor solução para ambos os lados.

Leia mais: Governo Bolsonaro 2021 vai investir mais em Defesa do que em educação, revela especialistas

Os prejuízos de cortes de verbas na educação

Walter Braga Netto (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia) são os responsáveis pelo gerenciamento do JEO, criando assim o plano de cortes nos ministérios.

Basicamente, R$1,57 bilhões serão cortadas do Ministério da Educação (MEC), as ações da educação básica perderão o pouco que ainda tem, 80% dos recursos serão perdidos.

O programa ‘Criança Feliz’ que atendia cerca de 1 milhão de bebês até 3 anos de idade em casa também será suspendido, prejudicando também cerca de 26 mil profissionais que serão demitidos.

Se for mantida a tesourada, o Ministério da Agricultura sofrerá corte de R$250 milhões, o Turismo e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações estarão perdendo R$155,4 milhões e R$9,64 milhões, respectivamente.

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.