Liberada a 5ª parcela do auxílio emergencial; veja como sacar

Foi liberada a 5ª parcela do auxílio emergencial. Nessa etapa, poderão realizar o saque 1,9 mi de beneficiários do Bolsa Família com NIS terminando em 1.

Liberada a 5ª parcela do auxílio emergencial; veja como sacar
Liberada a 5ª parcela do auxílio emergencial; veja como sacar. (Fonte: Google)

Teve início da terça-feira, 18, o pagamento da quinta parcela do Auxílio Emergencial, agora o calendário usado é o do Bolsa família. Esse lote, então, é exclusivo às pessoas que fazem parte do programa.

Auxílio Emergencial segundo o final do NIS

De acordo com o final do Número de Identificação Social (NIS) e as datas estabelecidas, o pagamento contemplará os seguintes beneficiários:

  • 1: 18 de agosto;
  • 2: 19 de agosto;
  • 3: 20 de agosto;
  • 4: 21 de agosto;
  • 5: 24 de agosto;
  • 6: 27 de agosto;
  • 7: 28 de agosto;
  • 8: 29 de agosto;
  • 9: 30 de agosto;
  • 0: 31 de agosto.

Como sacar

Os saques do auxílio geralmente são realizados em duas etapas. Primeiro o dinheiro é depositado em conta e em data posterior é que o saque é liberado. Contudo, esse grupo, exclusivamente, pode utilizar o cartão do programa Bolsa Família, Cartão Cidadão ou por conta da Caixa para realizar o saque de forma direta, sem que haja duas datas.

É importante lembrar que o valor não é acumulativo. As pessoas beneficiadas receberão apenas ou o Auxilio Emergencial ou o Bolsa Família, o que tiver o maior valor.

Quinto lote para os outros beneficiários

O lote de número 5 que será disponibilizado no dia 28 de agosto é destinado às demais pessoas. O saque do lote de número 4 foi liberado na segunda-feira, 17. Os pagamentos seguem até o dia 13 de novembro.

Leia mais: 4 milhões de brasileiros recebem hoje (17) mais uma parcela do auxílio emergencial

Prorrogação do auxílio

Ainda não há uma definição se o valor se R$600,00 pagos hoje como Auxílio Emergencial será prorrogado. Enquanto isso, estima-se que o Governo Federal gastará 2,5% do PIB brasileiro com o pagamento do auxílio, isso se ele não for prorrogado..

Contudo, já se sabe que, caso seja prorrogado, o valor pago seja inferior ao de agora, isso porque acredita-se que não haverá subsídio suficiente para sustentar a atual quantia.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, afirmou:

O governo vai precisar apresentar sua posição em relação às condições de prorrogar, em qual valor, para que a gente saiba qual impacto que isso tem nas contas públicas”.

Entretanto, governo de Bolsonaro já demonstrou interesse em cortar alguns gastos para conseguir dar continuidade no pagamento do auxílio. Bem como custear o programa Renda Brasil, que irá substituir o Bolsa Família, programa da era PT, no futuro.

 

Facebook Comments

Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha com professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora do jornal O Norte.