Mau tempo provoca suspensão de travessia Salvador-Mar Grande

O mau tempo provocou a suspensão da travessia de embarcações entre Salvador e Mar Grande, na Ilha de Itaparica. A decisão foi anunciada hoje pela manhã (3). A Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) disse que o mau tempo torna desfavoráveis a navegação na Baía de Todos-os-Santos.

Mau tempo provoca suspensão de travessia Salvador-Mar Grande
Mau tempo provoca suspensão de travessia Salvador-Mar Grande. (Imagem: Tv Bahia).

A Associação dos Transportes disse ainda que a medida visa cumprir o que recomenda a Capitania dos Portos da Bahia e que não há uma data prevista para que a atividade seja retomada.

A Marinha do Brasil havia emitido um alerta a cerca dos ventos. Em Salvador, segundo a Marinha, a previsão é de que os ventos cheguem a 60 quilômetros por hora no litoral que vai de Salvador até o Rio Grande do Norte.

As operações já haviam sido canceladas a partir das 18h da última sexta-feira (31) devido ao mau tempo, entretanto, aos finais de semana o serviço não estava em atuação por conta das ações de prevenção com o intuito de evitar a contaminação pelo Covid-19.

Leia mais: Ambulantes de Salvador voltam a rotina após lockdown

Paraíso a 13 quilômetros de Salvador tem turismo afetado pelo Covid-19

Conhecida como Caribe baiano, a Ilha de Itaparica é a maior ilha da Baía de Todos os Santos. Fica a 13 quilômetros de Salvador pelo mar. É um local conhecido pelo turismo, mas que devido ao coronavírus viu a economia decrescer. Em junho deste ano, a entrada na ilha estava restrita.

Apenas moradores e pessoas que comprovassem trabalhar na ilha estavam autorizados a entrar. A Prefeitura até colocou adesivos nos carros para identificar os moradores. Para entrar os moradores precisavam apresentar licenciamento e comprovante de moradia, RG e até título de eleitor ou documento funcional.

As praias também foram bloqueadas e barreiras colocadas para evitar o acesso. As medidas visavam evitar o risco de contaminação pelo coronavírus. Mesmo com a medida a ilha apresentou crescimento de 50% no número de casos. Até o dia 30 de junho a cidade tinha 80 casos.

Já no boletim epidemiológico divulgado no dia 9 de julho, 118 pessoas estavam infectadas com o vírus. Festas realizadas em comemoração ao São João são apontadas como o principal motivo para o acréscimo no número de casos.

Facebook Comments