Natal inicia vacinação contra COVID-19 para pessoas acima de 28 anos nesta quarta (4)

A capital Natal inicia vacinação contra COVID-19 para pessoas acima de 28 anos nesta quarta (4). O munícipio avança na imunização da população com a chegada de novas doses da vacina e agora é a vez do público mais jovem. 4 drives de vacinação estão espalhados pela cidade para receber a nova faixa etária!

Natal inicia vacinação contra COVID-19 para pessoas acima de 28 anos nesta quarta (4)
Natal inicia vacinação contra COVID-19 para pessoas acima de 28 anos nesta quarta (4) (Foto: Reprodução Google)

A Secretária Municipal de Saúde de Natal anuncia a vacinação de mais uma faixa etária. Agora, pessoas com 28 anos ou mais podem tomar a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. A oportunidade é para quem não tem comorbidades.

Nesta quarta-feira (4), cidadãos com até 28 anos de idade, de todos os munícipios de capital do Rio Grande do Norte, Natal, poderão tomar a vacina. O procedimento acontece pela chegada de novas doses de vacinas na região.

Assim, o avanço da imunização se dá em todo o Brasil, e agora a capital potiguar deve atender a população mais jovem. Os locais de vacinação na região são em um dos quatro drives, que são:

  • Via Direta;
  • Palácio dos Esportes;
  • Sesi;
  • Nélio Dias.

Além disso, mais de 30 salas de vacina estão espalhadas pela capital. Para receber a dose do imunizante, o cidadão potiguar deve apresentar um documento com foto, comprovante de residência, cartão de vacinação do SUS e o cadastro no RN Mais Vacina, que pode ser feito pela internet.

O Rio Grande do Norte é um dos estados do nordeste que segue avançando na imunização da população, e cada novo lote de vacina que chega ao estado, uma nova faixa etária deve ser imunizada.

Leia mais:Belém inicia vacinação da COVID-19 de jovens nascidos em 1999 e 2000

Suspensão da vacina Sputnik-V

Na última terça-feira (3), foi determinado pelo Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte, a suspensão do contrato para a compra da vacina russa Sputnik-V. A decisão foi tomada pelo tribunal e vale até que uma justificativa plausível sobre a compra do imunizante seja apresentada.

Ao todo, o pagamento é referente a compra de 300 mil doses da vacina, que não consta no Plano Nacional de Imunização. O TCE informa que a imunizante russa deve apresentar as mesmas condições exigidas para os demais, e por isso, o contrato deve ser suspenso até a regularização.

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.