Prefeitura de Natal anuncia início das atividades no Centro de Referência LGBT

A prefeitura do município de Natal entregou na última quarta-feira (30) às 10h o primeiro Centro Municipal de Cidadania LGBT de Natal (Cemcid) e o Ambulatório para Travestis e Transexuais (TT) ambos foram intermediados pela Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes).

"Prefeitura

Funcionalidade do Semdes

O Centro Municipal de Cidadania LGBT  de Natal tem como objetivo atuar com uma rede de apoio, com atendimento e promoção dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. A sua principal missão é articular ações sistemáticas que garantam o direito e possibilite o acesso da população LGBT a atendimentos como psicossocial, sociojurídico, saúde, informação e qualificação profissional.

A secretária da Semdes e presidente do conselho LGBT de Natal Mônica Santos, agora com o Centro Municipal de Cidadania LGBT a capital do Rio Grande do Norte tem um órgão que protege e defende o grupo.

O Cemcids vai trabalhar para garantir os direitos e minimizar todas as vulnerabilidades que o grupo está submetido, além disso, ele vai reunir informações mais precisas sobre os casos de violação dos seus direitos, homofobia e todos os outros crimes voltados para o grupo. Com esses dados mais exatos o Cemcid vai conseguir formular políticas públicas para combatê-los.

É um avanço significativo na promoção dos direitos do público LGBT. Natal sai na frente no estado do Rio Grande do Norte apontando que é possível preservar direitos, combater a intolerância e acolher legalmente as minorias. O Centro de Cidadania LGBT vai abranger ações conjuntas de várias secretarias, como as de Segurança, Assistência Social, Saúde, Educação, Habitação e outras instituições. A Semdes vai articular essa rede e promover amparo e cidadania” concluiu a secretária Mônica Santos.

O Centro Municipal LGBT e o Ambulatório para travestis e transsexuais vão funcionar em um prédio localizado na Avenida Nascimento de Castro, 1982- Lagoa Nova.

Leia mais: Liquida Natal: Conheça a campanha de descontos e sorteios para consumidores

LGBT

O grupo nasceu na década de 1970 nomeado de Movimento Homossexual Brasileiro (MHB). Depois de um tempo esse nome foi substituído por gays, lésbicas e simpatizantes (GLS). No ano de 1993, tornou-se GLBT e somente em 2008 o movimento passou a ser conhecido como é hoje LGBT.

A comunidade LGBT é formada por gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. O grupo tem o apoio de uma parcela da população brasileira, mas ainda assim ele é alvo de preconceitos e discriminação frequente. O dia 17 de maio é o dia internacional ao combate da discriminação e na luta pelos direitos do grupo.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.