Rio de Janeiro define retomada as aulas remotas e presenciais na rede municial

A prefeitura do Rio de Janeiro já definiu o retorno das aulas da rede municipal. A partir do dia 8 de fevereiro às aulas retornarão no ensino remoto e a volta presencial está prevista para o dia 24 de fevereiro. No entanto, o retorno será progressivo e separado por ciclos.

Rio de Janeiro define retomada as aulas remotas e presenciais na rede municial
Rio de Janeiro define retomada as aulas remotas e presenciais na rede municipal (Imagem: Reprodução Brasil de fato)

Na manhã da quarta-feira da quarta-feira (27), o prefeito Eduardo Paes, o secretário de Educação, Renan Ferreirinha, e o secretário de Saúde, Daniel Soranz, apresentaram o plano das voltas às aulas de 2021 nas redes municipais.

Conforme apresentado o plano é dividido em duas etapas, ambos os planos serão executados no mês de fevereiro.

Primeira etapa das volta às aulas

Nesta primeira etapa do retorno serão distribuídos livros, materiais e atividades para que os alunos estudem de casa. Após duas semanas do retorno on-line a prefeitura irá lançar o aplicativo Rio Educa, com aulas ao vivo.

Segundo o secretário de Educação, Rennan Ferreirinha, “estaremos utilizando um aplicativo único que será um guarda chuva: o aplicativo Rio Educa, que será dividido em duas frentes; o Rio Educa em Casa e o Rio Educa na TV, que disponibilizará na TV aulas para todos os anos e interação ao vivo”.

Leia mais: Enem 2020: Passo a passo de como pedir reaplicação de prova

Segunda etapa das volta às aulas

Já a segunda etapa conta com o retorno presencial dos alunos nas escolas municipais, porém, o retorno será facultativo.

Veja a previsão abaixo:

  • 24 de fevereiro – fase 1 (pré-escola, 1º ano e 2º ano)
  • 10 ou 17 de março* – fase 2 (3º ao 6º ano e 9º ano, além de creche com crianças a partir de dois anos que sejam filhos de profissionais de saúde e educação)
  • 3 ou 10 de abril* – fase 3 (creche, 6º ao 8º ano, PEJA e classes especiais)

As datas com asterisco são uma previsão.

Conforme explicou o secretário, Ferreirinha, “um ponto que eu queria lembrar é que o turno do retorno presencial neste momento seja de três horas, um turno reduzido, para que possamos também fazer um escalonamento de picos de horário junto com a secretaria de Transportes“.

A capacidade dos alunos por sala será baseado nos riscos de cada região. Quanto maior o risco que o local está apresentado menos alunos teremos nas escolas. Veja o modelo abaixo:

  • Risco moderado – 75% de capacidade;
  • Risco alto – 50% de capacidade;
  • Risco muito alto – 30% de capacidade.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.