Vice-Presidente contraria Bolsonaro e dispara: ‘O governo vai comprar a vacina’

O vice-presidente Hamilton Mourão disse que o governo vai comprar a vacina contra o coronavírus. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro é contrário à essa atitude, já que ele disse que não autorizaria a compra das vacinas, porém, como disse Mourão, essas afirmações do então presidente são apenas brigas políticas com o João Doria.

Vice-Presidente contraria Bolsonaro e dispara: 'O governo vai comprar a vacina'
Vice-Presidente contraria Bolsonaro e dispara: ‘O governo vai comprar a vacina’ (Imagem: Reprodução Época.globo)

CoronaVac x Bolsonaro

A vacina contra a Covid-19 está sendo desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, todavia, o presidente Jair Bolsonaro disse que não irá comprar esses imunizantes que estão sendo desenvolvidos.

Na quarta-feira passada (28), o Ministério da Saúde anunciou que tinha a intenção de adquirir 46 milhões de doses da Coronavac. Depois te ter feito o pronunciamento, o presidente desautorizou o ministro Eduardo Pazuello afirmando que, “o imunizante contra o novo coronavírus não será comprado pelo governo brasileiro, pois, há um descrédito muito grande em relação ao imunizante chinês.”

O vice-presidente Hamilton Mourão, declarou: “Essa questão da vacina é briga política com o Doria. O governo vai comprar a vacina, lógico que vai. Já colocamos os recursos no Butantan para produzir essa vacina. O governo não vai fugir disso aí.”

Leia mais: Eleições 2020: Tire suas dúvidas do que fazer para justificar o seu voto

China como potência global

Após ter feito esse pronunciamento o Diretor do Instituto Butantan Dimas Covas, disse que a declaração do vice-presidente é excelente, demonstrando que entende a importância da vacina nesse momento crítico da vida dos brasileiros.

“Ele, como militar de carreira e comprometido com o bem-estar da população, coloca a questão da vacina no seu devido lugar: vacina é questão de saúde, e não de ideologia ou política. Acredito, pessoalmente, que o Ministério da Saúde irá adquirir as vacinas que forem aprovadas pela Anvisa para incorporar no Programa Nacional de Imunização, e o quanto antes tivermos uma vacina nessa condição melhor para todos.”

Caso a vacina CoronaVac seja certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o vice-presidente disse que não tem receio em tomá-la. Já que a China é potência global, que pratica um capitalismo de Estado e que empresas chinesas que demonstrem compromisso com soberania, privacidade e economia têm condições de participar do leilão do 5G no Brasil.

Por fim, ele encerrou dizendo: “Agora, é partido único? É partido único. É um regime autoritário ditatorial? É um regime autoritário ditatorial. Mas é o regime deles. A gente tem de entender que a China nunca viveu sob um regime democrático, numa república como nós a entendemos”

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.