Bancadas do PT no Senado e na Câmara solicitam novo adiamento do ENEM 2020

As bancadas do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados e no Senado Federal defendem um novo adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2020). A legenda defende que as datas de aplicação sejam alteradas em razão do agravamento da pandemia do novo coronavírus, que já provocou mais de 200 mil mortes no Brasil.

Bancadas do PT no Senado e na Câmara solicitam novo adiamento do ENEM 2020
Bancadas do PT no Senado e na Câmara solicitam novo adiamento do ENEM 2020. (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

Inicialmente, as provas seriam aplicadas em novembro do ano passado e foram adiadas para os dias 17 e 24 de janeiro deste ano, próximos dois domingos.

Entidades representativas também pedem um novo adiamento para garantir a segurança sanitária de todos os envolvidos no processo. O PT divulgou uma nota na última sexta-feira (8).

Leia mais: Inscrições no Encceja 2021 garantem certificados dos ensinos Fundamental e Médio

Polêmica sobre realização do Enem 2020

No texto divulgado pelo partido, são destacados os números de candidatos envolvidos, 5,8 milhões, e trabalhadores.

Além disso, o PT alerta para a possibilidade de agravamento das desigualdades educacionais no país, com o comprometimento do ano letivo de 2020 e as dificuldades de acesso dos estudantes das escolas públicas a atividades pedagógicas não presenciais.

Na nota, os parlamentares também afirmam que concordam com o posicionamento de entidades representativas dos estudantes e trabalhadores em educação, como a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), o Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Leia mais: Inscrições do ProUni 2021 começam hoje (12); confira regras e número de vagas

A Defensoria Pública da União (DPU) também defende o adiamento e chegou a acionar a Justiça Federal para requerer a medida, ainda sem sucesso.

A nota é assinada pelos líderes do partido na Câmara e no Senado: deputado Ênio Verri (PR) e senador Rogério Carvalho (SE).

Nesta segunda-feira (11), o general da reserva Carlos Roberto Pinto de Souza, responsável pelo Enem, morreu em decorrência de complicações da Covid-19.

Por enquanto, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, segue afirmando que o cronograma do Enem está mantido.

As provas impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro e a versão digital será nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.