Black Friday 2020: Veja os itens MAIS buscados em Pernambuco

O mês de novembro é mundialmente conhecido pela Black Friday, momento em que os preços despencam e os produtos ficam muito mais baratos. Quem se programou durante o ano, pode se dar bem na Black Friday 2020. Em Pernambuco, por exemplo, metade da população assumiu que irá aproveitar as condições especiais, segundo pesquisa do Instituto Oscar Amorim de Desenvolvimento Econômico e Social (Instituto Fecomércio-PE) em parceria com o Sebrae-PE.

Black Friday 2020: Veja os itens MAIS buscados em Pernambuco
Black Friday 2020: Veja os itens MAIS buscados em Pernambuco (Imagem: Linus Schütz / Pixabay)

O levantamento, realizado entre os dias 18 e 19 de novembro, contou com a participação de 918 entrevistados. Deste grupo, 49,7% informou que pretende fazer compras comprar na Black Friday 2020.

O economista da Fecomércio-PE, Rafael Ramos, vê o momento do comércio de Pernambuco com expectativa diante de um cenário de recuperação de crise.

“O comércio do estado consegue crescer e vive um movimento de retomada bem mais forte do que o que se projetava até abril de 2020. Então, o levantamento é uma maneira de informar aos empresários e gestores do varejo acerca da disposição dos consumidores pernambucanos em comemorar o evento. A classe empresarial, assim, pode tomar decisões estratégicas nas ações das vendas”, afirmou.

Ainda segundo Rafael, ainda que não seja a maioria dos consumidores, o número é promissor. “Apesar de não representar maioria percentualmente, o número pode ser considerado elevado, visto que o resultado já mostra uma recuperação da intenção do consumo das famílias diante da data comemorativa anterior, que foi a do Dia das Crianças, quando a intenção atingiu a marca de 38,5%”, explicou.

Leia mais: Auxílio emergencial: Ministério da Economia dá palavra FINAL sobre o benefício em 2021

Segmentação dos consumidores pernambucanos

Segundo dados levantados pela pesquisa, a maioria dos consumidores que pretendem aproveitar o período de promoções é do sexo masculino (55,0%) e com idade entre 18 e 29 anos (54,4%).

A análise dos dados constatou que: quanto mais se avança na faixa etária, menos é a adesão da população em comprar no período da Black Friday. Os mais velhos, ou seja, maiores que 60 anos, atingiram 37,8% de intenção em comprar.

Pandemia muda cenário das compras

Reflexo da pandemia do novo coronavírus no Brasil, que impõe um maior distanciamento entre as pessoas, sem aglomeração e com permanência máxima em casa, dentro do possível, o principal meio de consumo apontado foi o comércio eletrônico, com 53,5%.

Outros canais, como o comércio de rua e o de shopping, alcançaram 27,4% e 18,9%, respectivamente.

“Esses números apontam que o período pode ser positivo para praticamente todos os canais de vendas no estado, o que possibilita também desdobramento positivo na geração de empregos temporários”, afirmou o economista da Fecomércio-PE.

Leia mais: Em Pernambuco, Procon orienta pais sobre ESTES abusos na hora de realizar a matrícula 2021

O que os pernambucanos querem da Black Friday?

A pesquisa mostrou que os itens mais buscados pelos pernambucanos neste Black Friday foram roupas e sapatos, com 18,4%. Em seguida, equipamentos eletrônicos, celulares, tablets e utensílios domésticos.

“A pesquisa traz um alento para o difícil cenário vivido pelo segmento dos calçados em 2020. O desempenho das vendas atualmente se encontra bastante negativo e sem apresentar um movimento de recuperação mesmo após a abertura dos estabelecimentos e do menor percentual de isolamento das famílias. A busca pode dar a oportunidade para que os estabelecimentos ligados a esta atividade tenham a oportunidade de trazer os estoques a níveis menos críticos, reduzindo assim o custo elevado de não vender e de estocar”, apontou Rafael.

O tipo de pagamento mais aderido pelos consumidores foi o cartão de crédito. A maioria dos consumidores pretendem gastar até R$ 150.

Quem fica de fora?

Os entrevistados que disseram ficar de fora da Black Friday deste ano deram suas justificativas. As mais comum foram: estão sem dinheiro ou com pouco dinheiro e consideram que os preços estão elevados, atingindo 32,5% e 20,9%, respectivamente.

Isabela Veríssimo

Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se ao Jornal O Norte.