Bolsonaro defende CPI de investigação ao Consórcio Nordeste

Esta semana, o Presidente Jair Messias Bolsonaro, defendeu a continuação da CPI de investigação ao Consórcio Nordeste. De acordo com os motivos da criação desta nova CPI, o Consórcio Nordeste vem cometendo irregularidades constantes em compras de equipamentos médicos.

Bolsonaro defende CPI de investigação ao Consórcio Nordeste
Bolsonaro defende CPI de investigação ao Consórcio Nordeste (Imagem Google)

Desde o início da pandemia da COVID-19, nove Governadores de estados Nordestinos se juntaram para fazer uma frente única para impedir o avanço da doença e contê-la nos memore níveis possíveis na região Nordeste brasileira.

Desse modo, o Consórcio Nordeste teve ação rápida e responsiva sobre o enfrentamento do Coronavírus na região, e possui os seguintes estados brasileiros como membros ativos:

  • Alagoas;
  • Bahia;
  • Ceará;
  • Maranhão;
  • Paraíba;
  • Pernambuco;
  • Piauí;
  • Rio Grande do Norte;
  • Sergipe.

De acordo com o Presidente, uma das várias irregularidades nas compras feitas pelo grupo, cabe sobre a compra de 300 respiradores mecânicos, dos quais o investimento financeiro chega a ser de aproximadamente R$ 49 milhões de reais.

Porém, nenhum desses equipamentos sequer foram entregues a qualquer hospital brasileiro. Desse modo, ficando os equipamentos totalmente abandonados após a compra, o que ainda pode encarar um superfaturamento em suas compras.

Desde que a compra foi feita, nenhum dos respirados mecânicos foram entregues, desse modo, o Presidente Bolsonaro declarou o seguinte:

“A CPI poderia investigar o senhor Carlos Gabas que sumiu com R$ 49 milhões e não recebeu um respirador sequer”, disse Bolsonaro.

Carlos Gabas é atualmente ex-secretário Executivo do Consórcio Nordeste e responsável pela liberação de verba pública para a compra desses equipamentos. Com isso, o ex-secretário já foi chamado para depor na atual CPI da COVID.

Atualmente, a CPI da COVID já vem investigando compras de superfaturamento ou de equipamentos que nunca foram entregues por políticos utilizando a pandemia como desculpa para essas ações e assim gastando dinheiro público em vão.

Leia mais: Ocupação de leitos de UTIs no Ceará é a menor desde setembro de 2020

Além disso, Bolsonaro repreendeu os Governadores dos quais estão se utilizando das ações Federais para se autopromover em suas campanhas de gestão.

O Presidente afirmou que existem Governadores Nordestinos utilizando a gestão federal para dizer que a compra de lotes de vacinas foi um feito estadual e não Federal para assim se promoverem nas próximas eleições.

Matheus Grangeiro é formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Maurício de Nassau.