Eleição na Câmara dos Deputados tem data definida; conheça os principais nomes

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados definiu, nesta segunda-feira (18), os detalhes sobre as eleições da Casa. Em reunião no Congresso, os parlamentares marcaram para 1º de fevereiro a votação para escolher o novo presidente. A sessão será presencial.

Eleição na Câmara dos Deputados tem data definida; conheça os principais nomes
Eleição na Câmara dos Deputados tem data definida; conheça os principais nomes. (Imagem: Najara Araujo/ Câmara dos Deputados)

As medidas foram decididas pela Mesa, por um placar de 4 votos a 3. O atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi um dos contrários à votação presencial.

Ele defendia um sistema híbrido, com parte dos deputados votando de forma remota, como ocorreu nas sessões em 2020.

Leia mais: Bolsonaro confirma demissão do presidente do Banco do Brasil; entenda a saída

Candidatos à presidência da Câmara dos Deputados

A maior disputa será entre Baleia Rossi (MDB-SP) e Arthur Lira (PP-AL). O primeiro tem o apoio de Maia e de 11 partidos, já Lira tem o apoio de nove siglas e do presidente Jair Bolsonaro. Outros cinco candidatos também colocaram os nomes à disposição dos 513 deputados.

Alexandre Frota (PSDB-SP) promete ter atuação independente em relação ao Executivo e afirmou que pretende acatar a abertura do pedido de impeachment de Bolsonaro. André Janones (Avante-MG) promete pautar a volta do auxílio emergencial e tem o apoio de cinco parlamentares.

Marcel Van Hattem (Novo-RS) tem apoio do partido e pretende investir no diálogo entre as legendas. Capitão Augusto (PL-SP), coordenador da frente parlamentar de segurança pública, conhecida como a bancada da bala, também é candidato e fecha a lista juntamente com Fábio Ramalho (MDB-MG).

Leia mais: ‘Placar do Impeachment’ analisa proximidade da derrota de Bolsonaro

A votação para eleição da Câmara é secreta, por isso os parlamentares não precisam necessariamente seguir a orientação das siglas.

Se um candidato não obtiver a maioria da Casa na primeira votação, é realizado segundo turno. As cabines de votação serão distribuídas no Salão Verde e Salão Nobre.

Em entrevista após a reunião, Maia lamentou a decisão de manter a votação presencial. Segundo ele, a circulação será de pelo menos 3 mil pessoas, incluindo parlamentares, servidores, assessores e profissionais da imprensa, o que não permite manter um ambiente seguro em relação ao vírus da Covid-19.

Aliados de Lira aprovaram o modelo escolhido e disseram que o sigilo do voto demanda votação presencial, pois não há garantia de voto secreto no formato remoto.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.