Eleições 2020: Por conta do apagão, TSE confirma adiamento da eleição em Macapá

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirma o adiantamento das eleições 2020 na capital Macapá. Desde a semana passada, o estado vive uma situação de calamidade com a falta de energia em diversas cidades.

Eleições 2020: Por conta do apagão, TSE confirma adiamento da eleição em Macapá (Foto: Reprodução Google)
Eleições 2020: Por conta do apagão, TSE confirma adiamento da eleição em Macapá (Foto: Reprodução Google)

Para que não haja a prorrogação de mandados atuais, o TRE do Amapá decidiu adiantar as eleições de 2020.

Em todo o país, o processos eletivo começa com o primeiro turno no próximo domingo (15) e o segundo no dia 29.

No Amapá, as eleições podem ser diferentes por causa da falta de energia geral, o presidente da Corte, ministro Luís Roberto Barroso, adiantou as eleições municipais na Macapá.

As datas ainda não foram definidas, mas a decisão prevê que o todo o processo eleitoral seja finalizado ainda este ano.

A decisão foi tomada por unanimidade, na noite da quarta-feira (11). O pedido foi feito pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TER), para o Tribunal Superior Eleitoral.

O ministro Barroso considerou ainda que;

Sejam adotadas as providências para a exclusão da carga das urnas em todo o município, de modo a prevenir que entrem em funcionamento” referente ao dia 15.

As dificuldades no fornecimento de energia no estado, foi a principal razão para o pedido de adiantamento. A situação começou após um apagão gerado por incêndio em uma das subestações do Amapá.

Leia mais: Governo do Amapá prorroga decisão e suspende aulas presenciais no estado

Motivo do adiamento das eleições 2020

O ministro Luís Barroso afirma que percebeu a situação do Amapá, após o pedido do TRE. O estado em calamidade pública já foi declarado.

 “Percebi que havia consenso acerca dos riscos da realização das eleições deste domingo, em razão da instabilidade no fornecimento da energia elétrica, do expressivo da criminalidade e mesmo sinais de convulsão social”, afirmou.

A falta de energia vem acontecendo desde a semana passada, e os cidadãos estão vivendo com um espécie de rodizio, quando não há certeza de energia a noite, somente de dia.

Desde  a última semana, os amapaenses fizeram diversos protesto no estado, para chamar atenção do Governo Federal e Estadual para a situação precária.

Larissa Luna é graduanda em Psicologia pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) e graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Como universitária, estuda analises de pesquisas feitas a partir de conceitos sociológicos e antropológicos em paralelo com a Psicologia. Atualmente dedica-se a redação do Jornal O Norte.