Governo do Amapá prorroga decisão e suspende aulas presenciais no estado

O governador do Amapá, Waldez Góes, assinou um novo decreto mantendo a suspensão de aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino. A medida vale até 31 de outubro e considera a classificação laranja do estado, que representa risco moderado para infecção pelo novo coronavírus.

Governo do Amapá prorroga decisão e suspende aulas presenciais no estado
Governo do Amapá prorroga decisão e suspende aulas presenciais no estado. (Imagem: Valdeí Balieiro / Gov. do Amapá)

Além das atividades educacionais, o decreto mantém a suspensão de atendimento presencial nos órgãos públicos estaduais, cuja retomada ocorre de forma gradual, em fases distintas. Segundo o governador Goés, é preciso manter os cuidados para evitar retroceder na classificação de risco e nas etapas de reabertura.

O decreto também estabelece o fortalecimento nas medidas de segurança, com prevenção e higienização nos ambientes de trabalho, manutenção do distanciamento social de um metro e meio, uso de máscaras, entre outros. Os gestores devem priorizar reuniões por videoconferências e manter afastados os servidores do grupo de risco.

Retomada de aulas presenciais em outros estados

Mesmo com uma tendência de queda nas curvas de mortes e casos por Covid-19, a maioria dos estados brasileiros segue sem aulas presenciais. O Amazonas foi o primeiro que retomou atividades pedagógicas, em agosto. Profissionais de educação e alunos estão sendo monitorados. No Rio Grande do Sul, o calendário foi reiniciado em setembro com os alunos da educação infantil.

Rondônia adiou o início das aulas para 3 de novembro. O Rio Grande do Norte suspendeu as aulas até o fim do ano. Em outros estados não há definição de retorno. É o caso de Distrito Federal, Goiás, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Maranhão, Bahia, Paraná, Mato Grosso, Acre e Roraima.

Leia mais: Justiça do Trabalho anuncia suspensão das aulas no Piauí

Em Minas Gerais, foi autorizado o retorno das aulas práticas de cursos da área da saúde apenas, considerados serviço essencial. No Rio de Janeiro, a volta às aulas na rede particular está em disputa judicial.

As escolas estaduais do Amapá iniciaram as aulas de forma remota em agosto. A Secretaria de Estado da Educação (Seed) organizou um plano estratégico com atividades on-line, por meio do Portal Aprendizagem em Casa, videoaulas, livro didático, atividades impressas e transmissão pela TV Assembleia.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.