Ifap se organiza e quer iniciar aulas on-line para veteranos no Amapá

Com aulas suspensas desde março, o Instituto Federal do Amapá (Ifap) vai retomar o ano letivo de forma remota em setembro. O plano é iniciar com estudantes veteranos do último ano dos cursos. A Universidade Federal do Amapá (Unifap) e a Universidade do Estado do Amapá (Ueap) não têm previsão de retorno das atividades.

Ifap se organiza e quer iniciar aulas on-line para veteranos no Amapá
Ifap se organiza e quer iniciar aulas on-line para veteranos no Amapá. (Imagem: Assessoria)

As três instituições somam aproximadamente 16 mil estudantes. O Ministério da Educação autorizou a contagem de atividades não presenciais para cumprir a carga horária mínima obrigatória do ano letivo em todas as etapas de ensino.

Como serão as aulas on-line do Ifap

O início das atividades remotas do Instituto Federal está marcado para 2 de setembro, para concluintes dos cursos. O órgão informou que está planejando ações para tornar as aulas acessíveis a todos os estudantes e vai divulgar a oferta de um auxílio por meio de edital.

Para planejar a volta das aulas presenciais, o Ifap está coletando informações da comunidade escolar. No fim de julho, a maioria das duas mil participações na pesquisa, incluindo estudantes, familiares, servidores e terceirizados, relatou não ter segurança para retornar.

O pró-reitor de Extensão do Ifap, Romaro Silva, explicou que a pesquisa demonstrou a preocupação da sociedade em relação à pandemia e a impossibilidade do retorno presencial. Por isso, a instituição optou pela oferta de atividades acadêmicas remotas aos alunos que estão no último ano.

Segundo o Ifap, a comunidade escolar está recebendo orientações sobre o ensino remoto emergencial. O planejamento vai auxiliar professores e alunos.

Leia mais: MEC autorizou nesta semana retorno das aulas do IFRN.

Na Unifap, uma comissão especial estuda a possibilidade da oferta de atividades remotas. A maior dificuldade é a estrutura, pois muitos estudantes não têm acesso ao ensino on-line. Quem já concluiu a graduação está recebendo as outorgas a distância.

A universidade estadual também não definiu como vai ficar o ano letivo. Um comitê de acompanhamento da pandemia, formado por professores especialistas, foi instaurado para auxiliam nas determinações durante o período. Uma das alternativas é adotar o ensino remoto, mas as propostas ainda precisam ser analisadas e submetidas ao conselho universitário. Além disso, precisam ser apreciadas por alunos e professores da instituição.

Facebook Comments

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.