INSS: Confira lista de benefícios que sofrerão reajuste com o salário mínimo 2021

Alguns benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) terão ajustes no seu pagamento. O motivo é por conta do piso salarial de 2021 já está definido, no valor de R$ 1.088 anunciado pelo Governo Federal. Os pagamentos do INSS são baseados no piso nacional que está em vigor.

INSS: Confira lista de benefícios que sofrerão reajuste com o salário mínimo 2021
INSS: Confira lista de benefícios que sofrerão reajuste com o salário mínimo 2021 (Imagem: Jornal O Norte)

Salário mínimo 2021

O salário mínimo de 2021 estava sendo projetado no valor de R$ 1.067, com acréscimo de R$ 22 referente ao piso deste ano. No entanto, o Governo Federal definiu o pagamento para R$ 1.088, ou seja, R$ 43 a mais do que está em vigor de R$ 1.045.

Os pagamentos realizados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) são feitos de acordo com o piso nacional do ano vigente. Ainda não foi decidido pelo Governo a quantia exata que será paga para cada benefício, conforme prescrito pela equipe econômica, a Lei Orçamentária será atualizada em dezembro após o fechamento das eleições municipais e dos índices da inflação.

O INSS vem analisando um reajuste de R$ 1.067 para os seus 35 milhões de segurados, se porventura esse valor seja definido o acréscimo será de 2,10%, passando o teto de R$ 6.101,06 para R$ 6.229,18.

Leia mais: Com inflação maior, teto do INSS em 2021 chega a um valor surpreendente; confira

É válido lembrar que, essa quantia não terá um significado real pois a atual média da inflação necessidade de um piso nacional ao menos 5 vezes maior que a quantia ofertada nesse momento, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Benefícios do INSS que sofrerão reajustes

Os benefícios que terão ajustes com o piso salarial 2021, são:

  • benefício da prestação continuada (BPC);
  • aposentadoria por tempo de contribuição;
  • aposentadoria por idade;
  • aposentadoria por invalidez;
  • aposentadoria especial;
  • auxílio-doença;
  • salário-maternidade.

O valor das contribuições também devem aumentar. Por exemplo, no plano simplificado os contribuintes individuais recolhem 11% do salário mínimo, atualmente isso resulta em R$ 114,95 por mês. No próximo ano o valor deve ficar em R$ 117,37 ao mês.

Podemos citar também as contribuições do microempreendedor individual. Em sua guia de tributos o Microempreendedor Individual (MEI) deve pagar 5% sobre o valor do salário mínimo para o INSS. Em 2020, esse resultado é de R$ 52,25, já em 2021 ele deve ficar em R$ 53,35.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.