Ministério Público Federal apura se Flávio Bolsonaro cometeu crime eleitoral

Nesta segunda-feira (17), o Ministério Público Federal decidiu não arquivar a investigação que corria sobre o senador Flávio Bolsonaro, filho 04 do Presidente.

Ministério Público Federal apura se Flávio Bolsonaro cometeu crime eleitoral
Ministério Público Federal apura se Flávio Bolsonaro cometeu crime eleitoral. (Imagem: Google)

A investigação corre a cerca de 2 anos. Flávio, então deputado federal, é investigado por falsidade ideológica eleitoral. Porque os valores de um imóvel declarado para sua candidatura nas eleições de 2014 e 2016 são diferentes. Em 2016 foi declarado por R$565 mil e 2016 que teve o valor de R$ 423 mil atribuído.

Mas, documentos comprovam que esse imóvel vale 1,7 milhões, a propriedade é uma cobertura no bairro de Laranjeiras. Flávio alega que o valor declarado é referente apenas sua parte do imóvel, que é proprietário juntamente com sua esposa.

Ele teria ainda omitido bens.

Divergências entre o MPF e a PF

A atual decisão do MPF vai contra o parecer feito pela PF no início do ano, pois em fevereiro desse ano a Polícia Federal concluiu que não haviam indícios de que Flávio tenha cometido tais crimes.

Para os procuradores o processo ainda precisa de maiores investigações, pois assim a culpa ou inocência do réu será de fato comprovada.

Na decisão, ainda, o MPF solicita que um novo procurador assuma o inquérito no Rio de Janeiro.

O pedido de arquivamento foi feito pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em maio.

Leia mais: Flávio Bolsonaro realiza depoimento e se contradiz junto ao Ministério Público do Rio

Em junho o juiz Flávio Itabaiana discordou do arquivamento então enviou o processo a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, em Brasília, que decidiu, nesta segunda, em dar continuidade nas investigações.

Agora, o inquérito será enviado novamente para o MP do Rio de Janeiro, para que as investigações possam ser continuadas.

O que diz a defesa?

Por meio de nota, a defesa de Flávio afirmou que: “A decisão da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF desta data, apenas permitirá a continuação da investigação eleitoral. Não houve denúncia e nem o arquivamento dos autos. Apenas decidiu-se que outro Promotor Eleitoral deverá presidir a investigação, em razão de o anterior já ter se posicionado pelo arquivamento”.

Mais uma investigação para a conta de Flávio Bolsonaro

Flávio também é investigado pelo MP do Rio por suspeita de chefiar uma organização criminosa que desviava dinheiro público do seu gabinete. É o esquema chamado de “RACHADINHA”.

 

Facebook Comments

Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha com professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora do jornal O Norte.