Município do Paraná cria auxílio de R$ 300 para beneficiários do Bolsa Família

O novo prefeito de Rolândia, no Paraná, Ailton Maistro (PSL), e seu vice, Marcio Vinicius (PSL) já estudam a viabilidade do Bolsa Rolândia. O programa foi uma das principais promessas de campanha e consiste em um auxílio de três parcelas de R$ 300 para os moradores da cidade, localizada no norte do estado.

Município do Paraná cria auxílio de R$ 300 para beneficiários do Bolsa Família
Município do Paraná cria auxílio de R$ 300 para beneficiários do Bolsa Família. (Imagem: Divulgação CobraNews)

A ideia é contemplar 1636 famílias cadastradas no Bolsa Família, segundo a Secretaria de Assistência Social.

Antes da posse, em dezembro, os gestores já se reuniram com os 10 vereadores eleitos e repassaram os detalhes do programa. A expectativa é que o pagamento comece ainda neste mês.

Leia mais: Projeto da Câmara dos Deputados propõe DESCONTOS na compra do carro 0 km

Como será o auxílio no município do Paraná

De acordo com o vice-prefeito, Marcio Vinicius, o início do Bolsa Rolândia vai depender da aprovação do Projeto de Lei na Câmara de Vereadores e não vai comprometer o orçamento do município. Ele explica que os recursos virão de uma fatia de ações da nova administração.

O orçamento contempla R$ 200 mil recebidos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), R$ 500 mil da arrecadação de impostos como IPVA e IPTU, R$ 500 mil de um pacote de medidas administrativas e R$ 300 mil da Desvinculação das Receitas Municipais (DREM).

O vice-prefeito também explicou que a reposição de caixa está garantida e será feita no decorrer do ano, com arrecadações de impostos.

Para o recebimento do benefício, a nova administração estuda fornecer um cartão de débito gratuito às famílias e está em contato com o Bradesco.

Leia mais: Deputados estudam ampliar acesso ao BPC em 2021; quem pode receber R$1.100?

De acordo com o novo prefeito, Maistro, o principal objetivo do Bolsa Rolândia é fomentar a transferência de renda às famílias mais afetadas durante a pandemia mundial, principalmente com o fim do auxílio emergencial. Com isso, estima injetar R$ 500 mil por mês na economia local e incentivar a recuperação.

O auxílio emergencial do governo federal foi encerrado em dezembro. O benefício começou a ser pago em abril, em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 para mães de família. Depois, foi estendido para até quatro parcelas de R$ 300 e, no caso das mães chefes de família, de R$ 600.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.