Polêmica Enem 2020: Gráfica envolvida em roubo será responsável pela impressão das provas

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou nesta terça-feira,  4, a gráfica responsável pela impressão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio 2020 (Enem). A gráfica escolhida, a Plural, é a mesma envolvida no roubo de provas no Enem 2009.

Polêmica Enem 2020: Gráfica envolvida em roubo será responsável pela impressão das provas
Polêmica Enem 2020: Gráfica envolvida em roubo será responsável pela impressão das provas (Imagem: Reprodução Google)

O contrato, com validade de um ano, custará R$ 63 milhões aos cofres públicos. Conforme o Inep, o contrato inclui a impressão de todos os materiais necessários para a realização da prova, como o pré-teste de itens e as provas de reaplicação, além de tiragem para os adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL). 

Apesar da Plural estar envolvida no vazamento das provas do Enem 2009, não foi constatada a participação direta da gráfica no roubo das provas, ou seja,  empresa não foi considerada culpada. Conforme o Jornal o Estado de São Paulo (Estadão), a Plural afirma que foi modernizada e adequou seus requisitos de segurança desde ocorrido. 

Para esta edição, que acontecerá no início de 2021, por conta dos efeitos da pandemia, 5,8 milhões de pessoas se inscreveram no Exame, sendo que 96 mil farão a prova digital. 

Entenda a polêmica do roubo de provas 

Faltando dois dias para a realização do Enem 2009, a prova foi cancelada, porque os cadernos de questões foram roubados da gráfica Plural. A descoberta do roubo aconteceu após o Estadão receber uma proposta de compra dos materiais roubados por R$ 500 mil, ou seja, uma pessoa teria oferecido o material ao veículo de comunicação. Logo, Estadão denunciou a ação ao Ministério da Educação (MEC). 

Leia mais: ENEM 2020: Este item será obrigatório durante realização do exame

Conforme a investigação da Polícia Federal, o roubo foi praticado por funcionários do consórcio responsável pela aplicação do Enem daquele ano, que era formado pelas empresas Funrio, Cetro e Consultec. Três funcionários da empresa Cetro furtaram dois cadernos após terem acesso ao local onde os malotes de provas eram separados para distribuição. Apesar disso, a Polícia Federal não constatou participação da gráfica Plural no vazamento. 

Confira o novo cronograma do Enem: 

  • Provas impressas: 17 e 24 de janeiro, para 5,7 milhões inscritos
  • Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro, para 96 mil inscritos
  • Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)
  • Resultados: a partir de 29 de março
Facebook Comments