Recadastramentos do Bolsa Família e CadÚnico continuam suspensos em Maceió

Algumas atividades do Programa Bolsa Família e do CadÚnico (Cadastro Único) vão continuar suspensas por mais seis meses. A medida vale para Maceió e todos os outros municípios brasileiros e tem o objetivo de evitar aglomerações e prevenir a disseminação do novo coronavírus. Entre as suspensões está o recadastramento.

Recadastramentos do Bolsa Família e CadÚnico continuam suspensos em Maceió
Recadastramentos do Bolsa Família e CadÚnico continuam suspensos em Maceió. (Imagem: Google)

A Prefeitura de Maceió também divulgou que continuam suspensos os processos de averiguação cadastral, revisão cadastral e a aplicação das ações de bloqueio, suspensão e cancelamento, resultantes do descumprimento das regras de gestão de benefícios do Bolsa Família.

Medidas de bloqueio de famílias sem informação de acompanhamento das condicionalidades também seguem suspensas.

Atendimento presencial

A sede do Bolsa Família e do CadÚnico em Maceió segue em funcionamento com horário reduzido, das 7 às 13 horas. Para ser atendido, é necessário fazer agendamento prévio pelo telefone (82) 3312-5924.

Leia mais: É o fim do Bolsa família? Entenda as novidades do Governo Bolsonaro

O atendimento presencial é direcionado apenas para demandas de urgência e atualizações cadastrais para casos especiais, tais como:

  • Pessoas em situação de extrema pobreza que não estão inscritas no CadÚnico;
  • Casos de recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • Situações relacionada à Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Casos de morte que possam impossibilitar o acesso aos programas sociais;
  • Outras demandas advindas de atendimento previamente realizado nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

O Ministério da Cidadania já havia estabelecido medidas emergenciais na gestão do Programa Bolsa Família e do Cadastro Único no dia 20 de março, em razão da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional.

Na época, a portaria suspendeu os processos de gestão e operacionais do programa e do CadÚnico por 120 dias, ou seja, até 20 de julho.

A coordenadora do Cadastro Único em Maceió, Stephanie Cavalcanti, explica que a suspensão é importante para evitar o deslocamento de usuários para fazer os processos de averiguação e avaliação cadastral.

Com o novo prazo, os beneficiários não terão prejuízos e demanda presencial será amplamente reduzida, evitando aglomerações. Para ela, a medida é de suma importância no momento de pandemia.

Usuários que tiverem dúvidas sobre as ações podem entrar em contato pelos canais de comunicação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e da sede do CadÚnico.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.