Retomado atendimento presencial no Procon-AP; confira como agendar

Com a reabertura do comércio, o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) do Amapá também decidiu retomar o atendimento presencial. Consumidores precisam agendar previamente e devem evitar levar acompanhantes. Os locais adotaram medidas de prevenção à Covid-19, como uso obrigatório de máscaras e medição de temperatura corporal na entrada, bem como uso de álcool em gel.

Retomado atendimento presencial no Procon-AP; confira como agendar
Retomado atendimento presencial no Procon-AP; confira como agendar. (Imagem: Maksuel Martins/ GEA)

O retorno dos serviços inclui recebimento de denúncias, reclamações e documentos de rotina, que também podem ser retirados nas unidades. Já as audiências em atraso devem ser remarcadas a partir da semana que vem. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. Para agendar, basta solicitar o atendimento por telefone, no número (96) 3312-1021, ou pelo e-mail agendamento@procon.ap.gov.br.

Serviços ofertados pelo Procon

O Instituto presta atendimento pessoal e gratuito a todo consumidor que tenha problemas ou dúvidas no mercado de consumo, incluindo: compra de produtos por pessoa física; contratação de serviços por pessoa física; serviços ofertados por instituições financeiras ou operadoras de planos de saúde e administradoras de benefícios; relação entre entidade de previdência privada e seus participantes; relação entre bancos de sangue e doador e relação entre agente financeiro do Sistema de Habitação (SFH) e mutuário.

Retomada de órgãos estaduais

O atendimento presencial nos órgãos estaduais foi retomado na segunda-feira (10), de forma gradual. O decreto para o retorno das atividades foi assinado pelo governador do Amapá, Waldez Góes, no dia 1º de agosto. O plano está dividido em três fases, com duração de 15 dias, e cada uma das fases está subdividida em duas etapas.

Leia mais: Procon-PA registra alta de denúncias sobre cobranças indevidas na conta de energia.

Segundo Waldez, o governo vai continuar avaliando as necessidades de cada setor e instituição para decidir sobre a liberação de atendimento, considerando os dados científicos e epidemiológicos. Ele explica que cada setor deverá seguir rigorosamente as medidas de segurança sanitárias e de distanciamento.

O protocolo estabelece uso obrigatório de máscaras e disponibilização de álcool em gel para higienização das mãos, além de divisão de trabalho por turno para evitar aglomerações. A frequência de limpeza dos prédios também deve ser ampliada e as janelas devem ficar abertas para circulação do ar.

Facebook Comments

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.