Sisu 2021: UFPE altera pesos e ponto de corte em 24 cursos através do Enem

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou uma lista que traz pelo menos 24 cursos que sofreram alterações nos pesos ou nota mínima para quem vai realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e pretende concorrer pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste ano. 

Universidade Federal de Pernambuco abre 7 MIL vagas através do Sisu 2021
Sisu 2021: UFPE altera pesos e ponto de corte em 24 cursos através do Enem (Imagem: Reprodução Diário de Pernambuco) 

Dessa vez a oferta de vagas será maior em relação ao ano passado. De 6.982 passou para 6.992. Contudo, o acréscimo é no curso de fonoaudiologia ofertado no campus Recife.

Leia mais: Enem 2020: Justiça anuncia decisão final sobre adiamento do exame

Confira abaixo a lista dos cursos que sofreram alterações 

  • Campus Agreste

Engenharia de Produção

Física – Licenciatura

Pedagogia – licenciatura

  • Campus Vitória

Ciências biológicas – licenciatura

Enfermagem

Educação física- bacharelado

Educação física – licenciatura

  • Campus Recife

Administração

Arquitetura e urbanismo

Ciências atuariais

Ciências biológicas com ênfase em ciências ambientais – bacharelado

Educação física – licenciatura

Engenharia cartográfica e de agrimensura

Engenharias CTG (ABI)

Engenharia de minas

Física – licenciatura

Física – bacharelado

Geologia

Hotelaria

Matemática – bacharelado

Nutrição – bacharelado

Secretariado

Sistemas de informação

O Sisu

O Sisu é um sistema informatizado que faz parte do Ministério da Educação. As instituições públicas de ensino superior ofertam então vagas para candidatos participantes do Enem. 

Assim, os candidatos com a melhor classificação são selecionados de acordo com as suas notas no exame.

Para concorrer a uma vaga no Sisu o aluno precisa ter participado do último Enem e ter tido nota maior que zero na redação. Ele também precisa ter concluído o Ensino Médio. 

Enem 2020

Com o primeiro dia de provas marcado para o próximo domingo (17) e muitos pedidos de adiamento, a Justiça Federal negou mais uma vez o possível adiamento do exame. 

A decisão veio por meio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região e já havia sido confirmada na terça-feira pela juíza Marisa Claudia Gonçalvez Cucio, da 12ª Vara Cível Federal de SP.

Foi discutido ainda sobre aquelas cidades que apresentam um elevado número de casos e que se comprovado o alto risco de infecção, assim elas poderão optar pelo adiamento e logo o Inep deve remarcar a prova. 

O Exame Nacional do Ensino Médio ocorre nos dias (17/01) e (24/01) para a prova presencial, ou seja, a prova impressa. Já nos dias (31/01) e (07/02) a versão digital. 

Mais de 5 milhões de estudantes estão inscritos para participar da prova.