Abapa, Sistema Senar/Faeb e Sindicatos criam o programa Jovem Aprendiz Rural

Em cumprimento da lei 10.097/2000, que determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de jovens aprendizes, equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15%, do seu quadro de funcionários foi criado o programa Jovem Aprendiz Rural.

Abapa, Sistema Senar/Faeb e Sindicatos criam o programa Jovem Aprendiz Rural
Abapa, Sistema Senar/Faeb e Sindicatos criam o programa Jovem Aprendiz Rural (Imagem: Reprodução Prefeitura Municipal de Minas Leão-RS)

O programa Jovem Aprendiz Rural é idealizado pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e o Sistema Faeb/Senar/Sindicatos, com o apoio de prefeitos e vereadores dos municípios de Correntina, na Bahia.

O projeto vem como uma oportunidade de inserção dos jovens e adolescentes que moram fora das zonas urbanas no mercado de trabalho.

Leia mais: Enem 2020 tem duas questões ANULADAS; confira o gabarito completo

Os primeiros 78 alunos contemplados pelo programa Jovem Aprendiz Rural em 2021 possuem entre 18 e 23 anos e foram registrados no regime CLT (carteira assinada) e além disso, vão receber auxílio financeiro e vale-transporte.

Além do emprego, os jovens tem acesso a cursos gratuitos oferecidos pelo SENAR.

Veja a lista:

  • Agricultura
  • Agroindústria
  • Aquicultura
  • Atividades de Apoio Agrossilvipastoril
  • Atividades Relativas à Prestação de Serviços
  • Extrativismo
  • Formação Profissional Rural
  • Fruticultura
  • Pecuária
  • Silvicultura

Acesse o Portal do Senar para conhecer todos os detalhes dos cursos!

Vantagens do programa Jovem Aprendiz Rural

Os brasileiros que realizarem a inscrição para o programa de aprendizagem rural, terão direito aos seguintes benefícios:

  • Acesso a um curso de qualificação na área de atuação na empresa;
  • Jornada de trabalho de até 6 horas diárias;
  • O aprendiz sob hipótese alguma pode extrapolar suas horas estabelecidas de trabalho (hora extra), também não podem fazer trabalhos noturnos;
  • Salário baseado no salário mínimo por hora no Brasil e que é proporcional às horas de trabalho, por isso ele é variável de acordo com a empresa;
  • Trabalho registrado com anotação na Carteira de Trabalho;
  • Férias remuneradas, que devem coincidir com as férias escolares;
  • Direito a 13º salário.

Fonte: Portal Jovem Aprendiz

Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP).