Auxílio emergencial em 2021 é prioridade do candidato à Presidência da Câmara

O deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato à Presidência da Câmara, afirmou que a extensão do auxílio emergencial é uma das prioridades do atual momento. Segundo ele, a medida é necessária enquanto a população não estiver vacinada contra a Covid-19 e pode ser substituída por um fortalecimento do Bolsa Família.

Auxílio emergencial em 2021 é prioridade do candidato à Presidência da Câmara
Auxílio emergencial em 2021 é prioridade do candidato à Presidência da Câmara. (Imagem: Montagem / Jornal O Norte)

As afirmações foram feitas pelo candidato na segunda-feira (11). Na ocasião, ele reforçou a importância de buscar soluções assistenciais que se enquadrem dentro do teto de gastos. Para isso, é necessário reorganizar despesas, segundo Rossi.

Leia mais: Auxílio emergencial: Disputa pela Câmara quer definir possível prorrogação

Embates sobre o auxílio emergencial em 2021

O deputado, aliado do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45/2019, que trata da reforma tributária. Para ele, a reorganização do sistema de impostos no Brasil é uma das reformas mais essenciais para gerar emprego e renda.

Baleia é apoiado por uma coalizão de 11 partidos e está confiante na fidelidade dos parlamentares das legendas.

O principal adversário na disputa é o deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), que busca ampliar seu placar de votação em 1º de fevereiro, data das eleições.

Leia mais: Renda Cidadã, Bolsa Família e auxílio emergencial: Bolsonaro assume expectativas para 2021

A pressão pela prorrogação extensão do auxílio emergencial tornou-se um dos temas centrais da disputa pela Câmara dos Deputados, principalmente com o agravamento da pandemia.

O benefício foi encerrado em dezembro e o montante de pagamentos realizados pelo governo chegou a R$ 322 bilhões.

O que diz o Ministério da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já admitiu a possibilidade de renovação do auxílio, mas nenhuma ação concreta foi tomada até o momento.

Segundo ele, se o benefício for renovado, as parcelas devem ficar abaixo de R$ 300, para não comprometer o teto de gastos públicos.

Neste mês, os beneficiários do auxílio emergencial ainda podem movimentar o dinheiro recebido em Conta Poupança Social Digital. O benefício começou a ser pago em abril, no valor de R$ 600 ou R$ 1200 para mães de família.

Ao todo, foram cinco parcelas. Depois, o auxílio emergencial extensão contemplou até quatro parcelas no valor de R$ 300 e, no caso das mães chefes de família, de R$ 600.

 

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.