Casos de Covid faz São Luís do Maranhão suspender aulas presenciais

As aulas presenciais previstas para serem retomadas na última segunda-feira (10) foram suspensas após uma funcionária do Colégio Dom Bosco, em São Luís do Maranhão ter testado positivo para o novo coronavírus.

Casos de Covid faz São Luís do Maranhão suspender aulas presenciais
Casos de Covid faz São Luís do Maranhão suspender aulas presenciais. (Imagem: Google).

Com isso, as aulas estão acontecendo via internet. A instituição não informou uma nova data para a retomada das aulas, contudo, revelou que enviará um novo calendário.

As aulas suspensas foram as dos últimos anos do ensino médio e fundamental. Já as turmas de educação infantil e outras de ensino fundamental terão aulas presenciais retomadas.

Leia mais: Alta nos preços em São Luís, IBGE registra aumento de 0,57%

Através de nota, a instituição afirmou seguir rigorosamente protocolo sugerido por uma médica infectologista “totalmente em sintonia com as recomendações da Organização Mundial de Saúde e do Protocolo Estadual de Saúde”.

O Colégio disse ainda ser isolado o caso envolvendo a funcionária e que apenas o calendário das turmas de Ensino Médio e do Ensino Fundamental Anos Finais foi alterado.

Um caso similar aconteceu no último dia 2 de agosto, quando o Colégio Batista adiou a retomada das aulas presenciais da 3ª série do Ensino Médio. O adiamento ocorreu após um professor ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. O profissional da educação foi afastado por 14 dias e segundo a instituição, estava assintomático.

Volta das aulas presenciais é questionada por Associação de pais do Maranhão

A retomada das aulas presenciais nas escolas particulares foi questionada pela Associação de Pais e Alunos de Instituições de Ensino do Estado do Maranhão (ASPA-MA).

A entidade afirma que a medida foi tomada sem a participação dos pais e ainda reforçou não existir um cenário que favoreça a segurança dos alunos nas escolas.

A ASPA-MA enviou um ofício enviado ao Ministério Público do Maranhão, Defensoria Pública e Procon, em que diz que a Organização Mundial de Saúde (OMS) ‘não decretou o fim da emergência em Saúde Pública’. O documento diz ainda que o governo do Maranhão não obrigou o retorno das aulas e sim autorizou.

O Sindicato que representa as escolas públicas diz que os estabelecimentos estão acolhidos pelo Decreto Estadual 35.897/2020, que manteve paralisadas as aulas presenciais apenas até o dia 2 de agosto.

 

Facebook Comments