Escolas particulares da Bahia retomam aulas em 2021; confira cronograma

O Grupo de Valorização da Educação (GVE), que reúne cerca de 60 instituições privadas de ensino da Bahia, anunciou que as escolas voltarão a atender em fevereiro de 2021. A maioria dos estabelecimentos está há nove meses sem atividades presenciais e não tinha data definida para o retorno. Segundo o GVE, as escolas particulares se adaptaram à modalidade de ensino virtual.

Escolas particulares da Bahia retomam aulas em 2021; confira cronograma
Escolas particulares da Bahia retomam aulas em 2021; confira cronograma. (Imagem: Divulgação ACEB)

Se não houver autorização dos órgãos municipais e estaduais para a retomada presencial, a modalidade virtual será mantida em 2021. Se o ensino presencial for autorizado, a tendência é que as aulas funcionem de forma híbrida e facultativa.

O prefeito de Salvador, ACM Neto, e o governador da Bahia, Rui Costa, defendem que as aulas só retornem após a chegada da vacina contra a Covid-19.

Leia mais: FIES 2021: MEC divulga edital com informações sobre Enem de anos anteriores

Impasses sobre o retorno presencial na Bahia

Diretores de escolas pedem às autoridades locais um planejamento para o ano letivo 2021, com protocolos de segurança sanitárias e normas a serem seguidas. O pedido é para que as escolas tenham tempo para se adequar às regras e possam receber os alunos no ano que vem. O grupo também solicita prioridade para a vacinação, assim que estiver disponível.

O GVE estabeleceu as próprias regras sanitárias, com ajuda de uma equipe médica, coordenada por infectologistas. Algumas escolas farão a testagem dos profissionais, além do acompanhamento diário deles e dos estudantes.

Quem tiver sintomas e suspeita de Covid-19 será direcionado a salas especiais, com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) específicos para cada função.

Leia mais: MEC defende retorno IMEDIATO das aulas presenciais; entenda a decisão

O grupo também fez um levantamento sobre o estado emocional das crianças isoladas com a pandemia. A diretora da Escola Girassol, Rosa Silvany, explicou que as crianças estão mais ansiosas e as famílias têm relatado quadros de estresse e medo.

Além disso, os alunos têm evitado ligar as câmeras quando estão nas aulas on-line, alegando cansaço. Segundo a diretora, alguns pais chegam a levar os filhos para a porta das escolas, para atenuar a saudade.

A Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Estadual de Educação afirmaram que não há previsão de retorno para as aulas presenciais. O decreto estadual que suspende atividades escolares é válido até 4 de janeiro de 2021.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.