Governo de Aracaju libera a realização de eventos; conheça protocolo sanitário

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) liberou eventos corporativos, técnicos, científicos e similares, além de eventos sociais e celebrações. O público será restrito a 100 pessoas, em espaços abertos ou fechados conforme Resolução do Estado. O governo de Aracaju também determinou que as atividades devem ser organizadas com distanciamento de um metro e meio entre as pessoas; disponibilização de álcool em gel e utilização obrigatória de máscaras.

Governo de Aracaju libera a realização de eventos; conheça protocolo sanitário
Governo de Aracaju libera a realização de eventos; conheça protocolo sanitário. (Imagens: Divulgação)

Também há regras para a compra de ingressos, check-in e credenciamento, que precisam ser feitos de forma on-line. Além disso, deve haver medição de temperatura na entrada e impedimento de pessoas com mais de 37,5ºC.

Confira o protocolo sanitário do Governo de Aracaju

A recomendação é que pessoas do grupo de risco, com mais de 60 anos, não frequentem os eventos. Materiais impressos como folhetos e folders não devem ser distribuídos. O estabelecimento também precisa exibir vídeos ou apresentações com as orientações sanitárias necessárias.

Entre uma sessão e outra deve haver higienização do local, de balcões, maçanetas e corrimãos. Também é preciso evitar o acúmulo de lixos em lixeiras. Os microfones devem ser exclusivos para palestrantes ou artistas e precisam ser higienizados a cada sessão.

As equipes de fotografia, cenografia e audiovisual também precisam evitar compartilhar equipamentos e observar regras para não haja aglomerações de pessoas. Os profissionais devem estar em menor número possível, sem prejuízo ao evento.

Leia mais: Sergipe: Governo avança e libera mais uma fase de flexibilização dos serviços.

A organização deve estabelecer um cronograma para a logística de carga e descarga de fornecedores e calcular o número de banheiros de acordo com a quantidade de pessoas no evento. Os sanitários precisam de tapetes sanitizantes, torneiras com sensores e lixeiras com pedais.

Para a venda de alimentos, são autorizadas apenas porções individuais embaladas em materiais de higienização. Se houver coffee break, as porções também devem ser servidas de forma individual em seus locais de assento; o autosserviço de buffet fica proibido e um funcionário específico deve servir os participantes.

Lembranças, brindes e itens personalizados também precisam ser entregues em materiais de fácil higienização e as atividades que proporcionam contato físico, como jogos coletivos e danças, não estão liberadas.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.